Alemanha prende seis por planejarem atentado

Operação policial em quatro estados resulta na prisão de refugiados sírios suspeitos de ligação com "Estado Islâmico". Entre os possíveis alvos estaria um mercado de Natal.A polícia alemã prendeu nesta terça-feira (21/11) seis refugiados sírios suspeitos de planejarem um ataque terrorista no país em nome da organização extremista "Estado Islâmico" (EI). Entre os alvos, segundo a imprensa local, estaria um mercado natalino.

Os suspeitos, de entre 20 e 28 anos de idade, foram presos em batidas policiais realizadas durante a madrugada, que envolveram 500 policiais nas cidades de Kassel, Essen, Hanover e Leipzig. No total, oito apartamentos foram alvos das buscas em quatro estados alemães.

Em comunicado, a promotoria pública de Frankfurt afirmou que os seis homens detidos são acusados de pertencerem ao "Estado Islâmico".

"Os acusados são suspeitos de planejarem um ataque a um local público na Alemanha com armamentos e explosivos", dizia a nota, acrescentando que os investigadores acreditam que o plano ainda não havia sido finalizado.

Leia também: Terrorismo é o maior medo dos alemães, diz estudo

Segundo a promotoria, foram apreendidos laptops, computadores, telefones celulares, documentos impressos e equipamentos de armazenamento de dados, que serão examinados pela perícia. Testemunhas serão ouvidas, e outro mandado de prisão poderá ser expedido nesta quarta-feira.

A emissora Hessischer Rundfunk, citando fontes próximas às investigações, afirmou que o alvo dos extremistas seria um mercado de Natal em Essen, informação também divulgada pelo tabloide Bild.

O jornal Kölner Stadt-Anzeiger, de Colônia, afirmou que outro possível alvo do ataque seria um centro comercial também em Essen. Em março deste ano, um jovem de 20 anos foi preso ao registrar fotografias do local acompanhado de outro homem.

As autoridades se recusaram a comentar as informações sobre os possíveis alvos do atentado. Entre os seis suspeitos detidos nesta terça-feira, dois chegaram à Alemanha em dezembro de 2014 e os outros quatro em setembro de 2015, na condição de requerentes de refúgio, durante o auge da onda migratória para a Europa.

Segundo o jornal Die Welt, a denúncia que levou às prisões dos acusados partiu de outros refugiados em solo alemão. Os suspeitos teriam entrado no país com identidades falsas, se dizendo refugiados da guerra civil. Segundo o jornal, testemunhas afirmaram que os acusados foram combatentes do EI na Síria.

O episódio traz à tona o trauma do ataque de dezembro do ano passado em Berlim, quando um jovem tunisiano, que teve seu pedido de refúgio rejeitado na Alemanha, avançou com um caminhão sobre um mercado de Natal, matando 12 pessoas

Os serviços de segurança calculam que mais de 10 mil islamistas radicais estejam infiltrados na Alemanha, dos quais cerca de 700 são considerados perigosos e capazes de realizar ataques.

RC/afp/dpa/rtr

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos