Honduras decreta estado de exceção e toque de recolher

Em meio a impasse no resultado das eleições presidenciais, país da América Central tem sido palco de confrontos que deixaram feridos manifestantes e agentes de segurança.O governo de Honduras anunciou neste sábado (02/12) a declaração de estado de exceção para frear as ações violentas e de vandalismo registrados no país devido à suposta fraude nas eleições presidenciais de 26 de novembro último.

Um toque de recolher entrou em vigor às 23h da sexta-feira (5h GMT no sábado) e nos próximos dias estará vigente entre as 18h da noite e as 6h, em todo o país.

Leia também:

Oposição lidera contagem parcial em Honduras

A informação foi avançada pela presidência, através do ministro Ebal Díaz, que indicou que o anúncio à população seria feito pelas 22h de sexta-feira (hora local), com a medida a entrar em vigor às 23h (hora local).

Díaz acrescentou que a suspensão de garantias constitucionais entrará em vigor atendendo a uma solicitação apresentada ao governo por parte de Forças Armadas, da polícia, empresas privadas e câmaras de comércio.

"Com a disposição as Forças Armadas e a polícia poderão resistir a esta onda de violência criada no país", disse o ministro ao Canal 5 da televisão local.



Violentos confrontos

Honduras tem sido palco de confrontos que deixaram feridos manifestantes e agentes das forças de segurança. Registaram-se também incidentes como danos em edifícios públicos e privados, saques, paralisação parcial do trânsito e incêndios.

As manifestações são protagonizadas por simpatizantes da Aliança da Oposição contra a Ditadura, que levou o candidato Salvador Nasralla às eleições presidenciais. Nasralla acredita ser alvo de fraude eleitoral.

Os primeiros resultados deram como vencedor Nasralla, mas no meio da semana o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) de Honduras concedeu uma vantagem de pouco mais de um ponto percentual para o atual presidente, Juan Orlando Hérnandez, que assim vai se reeleger.

As eleições presidenciais do domingo passado sofrem um impasse, com a autoridade eleitoral do país a anunciar a recontagem de alguns votos.

CA/efe/dpa/lusa/rtr

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos