Tempestade castiga Europa Ocidental

Destruição, caos nos transportes e enchentes são registrados em diversas regiões. Na França, esquiador morre ao ser atingido por uma árvore. Na Holanda, todas as barragens do país tiveram de ser fechadas.Uma violenta tempestade castigou diversas regiões da Europa Ocidental nesta quarta-feira (03/02), causando destruição, transtornos nos transportes, cortes de luz e enchentes.

Segundo o Serviço Meteorológico da Alemanha (DWD), a tempestade atingiu desde a Baviera, no sul do país, até o litoral alemão, na região norte. Ventos com intensidade de furacão foram registrados nos estado da Renânia-Palatinado e no Sarre.

Leia também: Um ano de extremos no clima

O nível das águas do rio Mosela, após as fortes chuvas da manhã desta quarta-feira, estava até 7,5 metros acima do normal. Também o nível do Reno aumentou. Em Koblenz, nesta quarta-feira, as águas já estavam cinco metros acima do nível normal. Na parte alta do rio, a elevação poderá chegar a 6,25 metros.



Um trem descarrilou próximo a Lünen, no oeste do país, ao colidir com uma árvore caída nos trilhos. Não houve feridos. Estradas próximas a Duisburg e Jülich, também no oeste, foram parcialmente interditadas em razão da queda de árvores e enchentes.

Os zoológicos de Munique e Ausburgo, na Baviera, foram fechados. Um ferrovia que leva até o Zugspitze, a montanha mais alta do país, foi interditada em razão.



O Ministério do Interior da França afirmou que um esquiador morreu ao ser atingido pela queda de uma árvore durante uma forte tempestade no resort de Morillon, em Haute-Savoie. Outras quinze pessoas ficaram feridas no país, quatro delas em estado grave, após acidentes causados pelos ventos de mais de 160 quilômetros por hora.



Os serviços de emergência registraram 4,3 mil incidentes em meio a uma das piores tempestades a atingir o país nos últimos anos. A agência de energia elétrica francesa afirmou que cerca de 200 mil residências ficaram sem energia elétrica, sendo que 30 mil na região de Paris. Em torno de 2 mil funcionários foram enviados para restabelecer o fornecimento nas 49 municipalidades que foram colocadas sob alerta máximo.

O aeroporto Charles de Gaulle, o maior do país, teve diversos voos cancelados ou atrasados em razão de medidas de precaução tomadas durante o embarque de passageiros. Também o aeroporto de Estrasburgo foi afetado. Em Paris, a Torre Eiffel permaneceu fechada durante todo o dia.



Na Suíça, várias pessoas ficaram feridas quando um trem descarrilou em razão dos fortes ventos. Em vários pontos do país houve cortes no fornecimento de eletricidade, estradas bloqueadas e enchentes.

Diversos voos que partiriam dos aeroportos de Zurique e Basileia foram cancelados. Vários teleféricos em estações de esqui nos Alpes tiveram os serviços interrompidos.



No Reino Unido e na Irlanda, chuvas, granizos e raios deixaram dezenas de milhares de pessoas sem energia elétrica. Três das principais estradas do país foram fechadas. A maré extremamente alta causou o colapso parcial de um porto na cidade de Cornwall, no sudeste britânico.

Na Holanda, as tempestades violentas causaram pela primeira vez o fechamento de todas as cinco barragens antienchente, para evitar inundações extremas no país onde um terço do território está abaixo do nível do mar. Não fosse pelas barragens, em torno de 60% do território holandês correria o risco de ser inundado.

A maior barragem do país, a Oosterscheldekering, na província de Zelândia, com nove quilômetros de extensão, somente é fechada em casos risco de enchentes de até três metros de altura.

RC/ap/dpa/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos