Filho de Boris Becker é alvo de tweet racista de deputado da AfD

Postagem na conta oficial de parlamentar do partido populista de direita classifica primogênito da lenda alemã do tênis de "pequeno meio negro". Família Becker reage na Justiça, e membros da própria AfD repudiam atitude.Noah Becker, filho do ex-tenista alemão Boris Becker, apresentou uma queixa contra o parlamentar da legenda populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD) Jens Maier, que o chamou de "pequeno meio negro" no Twitter, noticiou o tabloide alemão Bild. Nesta quinta-feira (04/01), membros do próprio partido criticaram os comentários racistas de Maier.

O jovem Noah, de 23 anos, cuja mãe, Barbara Becker, é filha de um afro-americano e de uma alemã, tomou a decisão em conjunto com o pai.

"Fui solicitado a rapidamente tomar as medidas necessárias no âmbito da lei penal e civil contra o parlamentar Jens Maier, com base neste tweet claramente racista", disse o advogado da família Becker, Christian-Oliver Moser, ao tabloide.

Maier, ex-juiz que foi um dos quase 100 membros da AfD eleitos para o Bundestag (Parlamento alemão) na eleição geral de setembro, atacou Noah depois de ter lido uma entrevista em que este se queixou de ser visto como o "filho eterno" de seu pai famoso.

"Parece que o pequeno meio negro simplesmente recebeu pouca atenção. Essa é a única explicação para o seu comportamento", dizia um tweet publicado na terça-feira na conta oficial de Maier no Twitter. Após denúncias, a postagem foi excluída, e Maier alegou ao Bild que um dos membros de sua equipe tinha escrito a mensagem.

O tweet racista não foi um caso isolado – o parlamentar nacionalista tem um histórico de provocações e declarações preconceituosas. Em novembro, por exemplo, a AfD suspendeu um processo de exclusão partidária contra ele. O processo tinha sido aberto por observações de Maier sobre um alegado "culto de culpa" na Alemanha e a "criação de povos mistos" por meio da imigração. Maier é considerado um representante da ala mais radical do partido.

Pedidos de renúncia

Maier aparentemente foi longe demais até para os padrões da Alternativa para a Alemanha. Membros do partido pediram, nesta quinta-feira, a renúncia de Maier.

"Basta! Se vocês não conseguem se manter ou manter seus funcionários sob controle, vão para casa!", disse o deputado da AfD Frank-Christian Hansel, no Twitter. "A AfD não precisa de pessoas que ainda usam o vocabulário primitivo e o estilo dos anos 50."

Hansel criticou o fato de que frequentemente partidários da AfD comprometam o trabalho de toda a legenda com comentários no Facebook e no Twitter.

"Nosso partido não é nenhum antro para sentimentos extremistas de qualquer tipo. Partimos do princípio que Jens Maier tenha a dignidade de assumir a responsabilidade pelas declarações feitas em seu nome, como é costume numa democracia", disse o líder do grupo parlamentar da AfD em Berlim, Georg Pazderski, que acrescentou que as declarações "não correspondem ao espírito e ao programa da AfD".

Essa foi a segunda vez em uma semana que parlamentares da AfD estiveram no centro das atenções por declarações polêmicas nas redes sociais. Na terça-feira, a polícia alemã apresentou uma denúncia por incitação ao ódio contra a parlamentar Beatrix von Storch, que criticou um tweet de Ano Novo em árabe publicado pela polícia de Colônia.

PV/afp/dpa/ots

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos