Topo

A criatividade alemã nas placas dos carros

Karina Gomes

12/01/2018 12h02

Na Alemanha, os motoristas podem escolher combinações de letras e números nas placas dos veículos. Criatividade dá lugar a palavras engraçadas, como "sexy" e "botox".Não se surpreenda caso se depare com a palavra "sexy” em uma placa de carro alemão. Na Alemanha, os motoristas podem usar toda a criatividade para fazer combinações com as letras e números das placas dos seus veículos.

Por aqui, as placas pertencem ao proprietário e são adquiridas nas prefeituras das cidades onde os veículos são registrados. Os símbolos (Kfz-Kennzeichen) podem ser escolhidos pelo motorista com um pagamento de uma taxa que varia, em geral, entre 10 e 30 euros. O motorista pode manter a placa e usar em outro veículo, caso faça uma troca. Basta registrar o novo veículo com a mesma placa.

As placas seguem os regulamentos da União Europeia (UE). À esquerda, fica a parte em azul com o círculo de estrelas símbolo do bloco, acompanhada da inicial do país. No caso da Alemanha, é a letra D, de "Deutschland" (Alemanha).

A seguir, vêm as a iniciais da cidade onde o veículo foi registrado. Para as cidades grandes, há apenas uma letra, como B, para Berlim, e F, para Frankfurt. Para as médias e pequenas, são de duas a três letras, como MZ, para a cidade de Mainz.

Na sequência, há duas etiquetas redondas. A que fica na parte superior é a HU-Plakette, que indica o ano e o mês em que a próxima inspeção veicular deverá ser feita. Abaixo, está o brasão do estado alemão onde o veículo está registrado, como Bayern (Bavária) e Hessen.

Ao lado dos dois símbolos, segue mais uma ou duas letras e uma combinação de números que podem ser escolhidos pelo proprietário de acordo com a disponibilidade. É então que quem tem um carro na Alemanha pode exercer toda a criatividade ao combinar as iniciais das cidades com as letras disponíveis para escolha. Os números podem indicar, por exemplo, o aniversário do motorista.

Na Autobahn (autoestrada alemã), já vi uma placa com a palavra "frei” (livre). O motorista combinou as iniciais de Freiburg (FR), no sul da Alemanha, com EI (ovo) para formar a palavra.

A palavra "sexy” é comum em placas registradas na cidade de Bad Segeberg, no norte da Alemanha, que tem as iniciais SE. Alguns motoristas pagam a taxa extra para adquirir as letras XY. Em Rottenburg an der Laaber, no sul do país, as iniciais são ROL. Muitos motoristas não perdem a chance e adicionam as letras EX: "rolex".

Mas nem todas as combinações são permitidas. A combinação IS, referente ao grupo terrorista "Estado Islâmico”, na sigla em alemão, foi banida em Düsseldorf. Combinações de letras ligadas ao nazismo, como HJ (Juventude Hitlerista), KZ (campo de concentração) e SA e SS (forças paramilitares nazistas), são expressamente proibidas. Em alguns estados, os números 14, 18, 28 e 88, usados como símbolos neonazistas e códigos de skinheads, também são banidos.

Alguns estados também não permitem as combinações IZ AN (nazi, lido de trás para frente), NS (nacional-socialismo), ou HEI L. No estado da Saxônia-Anhalt, a combinação SK IN (para skinhead) também é proibida.

Na coluna Alemanices, publicada às sextas-feiras, Karina Gomes escreve crônicas sobre os hábitos alemães, com os quais ainda tenta se acostumar. A repórter da DW Brasil e DW África tem prêmios jornalísticos na área de sustentabilidade e é mestre em Direitos Humanos.

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App