Aplicativo de fitness revela detalhes de bases militares dos EUA

Mapa online construído a partir de dispositivos que registram movimentação de esportistas permite identificar posições militares em países como Síria e Afeganistão. Pentágono recomenda a soldados cautela na internet.Um mapa interativo divulgado na internet e traçado a partir de informações compartilhadas por usuários de aplicativos e dispositivos de exercícios físicos, como o Fitbit, revela informações sensíveis sobre bases militares americanas, em países como Síria, Afeganistão e Iraque.

O chamadoGlobal Heat Map, publicado pela empresa Strava Labs, mostra a movimentação de usuários de seu aplicativo em todo o mundo, indicando a intensidade de um determinado percurso, ou "uma visualização direta da rede global de atletas da Strava", segundo a descrição da própria ferramenta.

Leia também: O dilema dos EUA na Síria

Em alguns países, as rotas são vistas em amplas regiões, enquanto em outros acabam se destacando algumas locações específicas. O mapa do Iraque, por exemplo, é bastante obscuro, indicando a utilização limitada do aplicativo e permitindo localizar com facilidade alguns pontos até então desconhecidos no mapa.

Isso faz com que algumas bases militares americanas e de forças aliadas apareçam em destaque no país, onde soldados da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos combatem o grupo extremista "Estado Islâmico" (EI). No Iraque, é possível identificar posições em locais como Taji, ao norte de Bagdá, Qayyarah, ao sul de Mossul e Al-Asad, na província de Anbar.

Pequenas localidades aparecem no mapa nas regiões norte e oeste do Iraque, indicando a presença de outras instalações militares menos conhecidas. No Afeganistão, o campo aéreo de Bagram, ao norte de Cabul, aparece como um local de intensa atividade, assim como outras localidades no sul e no oeste do país.

Trechos de rodovias iluminados no mapa sugerem que os usuários mantêm o aplicativo em funcionamento enquanto viajam, possivelmente revelando algumas das rotas mais utilizadas pelos militares da coalizão.

O analista de segurança Tobias Schneider divulgou alguns dos mapas no Twitter, enaltecendo ironicamente a capacidade dos aplicativos de localizar bases militares.



"As recentes divulgações de dados enfatizam a necessidade de conscientização situacional quando os membros das Forças Armadas compartilham informações pessoais", afirmou uma porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA.

"Levamos muito a sério questões como essa e analisamos a situação para determinar se treinamentos ou orientações são necessárias ou se devemos desenvolver políticas adicionais para assegurar a contínua segurança de nosso pessoal no país e no exterior", afirmou. O Pentágono recomendou aos membros das Forças Armadas que limitem os "perfis públicos na internet, incluindo suas contas nas redes sociais", disse a porta-voz.

A Strava Labs, por sua vez, afirma a revelação das posições militares poderia ter sido facilmente evitada. "Atletas com o mapa de calor que optarem em suas configurações de segurança poderão ter todos os seus dados excluídos" do mapa global, afirmou.

A empresa possui 27 milhões de usuários de seus aplicativos em todo o mundo, incluindo pessoas que utilizam dispositivos como Fitbit e Jawbone, assim como as que se registram diretamente no aplicativo da Strava. As informações do mapa não são transmitidas ao vivo, mas demonstram um padrão de atividades acumuladas entre 2015 e setembro de 2017.

RC/afp/ap

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos