Defesa de Lula recorre ao STJ para evitar prisão

Em pedido de habeas corpus, advogados defendem que ex-presidente seja preso somente após esgotadas as possibilidades de recurso nas instâncias superiores. Petista foi condenado a 12 anos e um mês de prisão.A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou nesta terça-feira (30/01) com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a fim de evitar a prisão do petista após a análise do recurso que será julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Leia também: "Caso de Lula pode fazer STF rever prisão após 2ª instância"

Esse mesmo tribunal, na semana passada, confirmou a condenação de Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, imposta pelo juiz Sérgio Moro, no processo que envolve a propriedade de um tríplex no Guarujá (SP). Ele ainda teve a pena aumentada de nove anos e seis meses para 12 anos e um mês de prisão.

Apesar da confirmação da condenação em segunda instância, o ex-presidente ainda tem direito a recurso no TRF-4, mas apenas para esclarecer pontos da sentença.

Se o recurso for rejeitado, a sentença de prisão pode ser executada – no julgamento da semana passada, os desembargadores votaram para que a pena comece a ser cumprida depois que os recursos apresentados pela defesa à corte forem analisados.

A medida, no entanto, pode ser evitada por meio de uma liminar no STJ ou no Supremo Tribunal Federal (STF), o que justifica o pedido de habeas corpus apresentado pelos advogados de Lula.

No documento, a defesa pede que o ex-presidente somente seja preso após esgotadas as possibilidades de recurso nas instâncias superiores, o STJ e o STF, alegando que o cumprimento antecipado da pena é incompatível com o artigo 5º da Constituição Federal.

Leia também: Como ficaria uma eleição sem Lula?

Segundo a imprensa brasileira, os advogados de Lula também defendem que a prisão do petista pode influenciar nas eleições para presidente, já que ele é um pré-candidato e tem liderado as sondagens de intenção de voto.

"A eventual restrição da liberdade do Paciente [Lula] terá desdobramentos extraprocessuais, provocando intensa comoção popular – contrária e favorável – e influenciando o processo democrático, diante de sua anunciada pré-candidatura à Presidência da República", diz a ação.

O pedido deve ser analisado pelo vice-presidente do STJ, ministro Humberto Martins, uma vez que a corte está em recesso e é ele quem está responsável por casos urgentes. O relator será o ministro Felix Fischer. Em seguida, a ação será examinada em conjunto pelos cinco ministros da Quinta Turma.

EK/abr/ots

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos