Rebeldes sírios concordam em abandonar Ghuta Oriental

Após acordo mediado pela Rússia, insurgentes devem abandonar cidade Duma, último reduto rebelde nos arredores de Damasco.Os rebeldes sírios aceitaram neste domingo (01/04) abandonar a cidade de Duma, o último reduto insurgente de Ghuta Oriental, nos subúrbios de Damasco, após um acordo com representantes da Rússia, anunciou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

As forças rebeldes não confirmaram até o momento o acordo, mas o jornal sírio pró-regime Al Watan, que citou "fontes diplomáticas", informou que os rebeldes abandonarão o armamento pesado e deixarão a cidade de Duma. Eles devem seguir para áreas da região norte do país controladas por insurgentes.

Segundo o OSDH, o acordo final entre o grupo Yaish Al Islam (Exército do Islã) e a Rússia prevê que os rebeldes e suas famílias, assim como os civis que desejarem, sejam transportados para territórios insurgentes na província de Aleppo.

"A polícia militar russa entrará na cidade", explicou o OSDH, organização que tem uma ampla rede de fontes na Síria.

O acordo é similar a outros, também mediados pela Rússia, estabelecidos com dois grupos rebeldes que já abandonaram os territórios que controlavam em Ghuta.

A operação de retirada já começou em Duma, sobretudo com a saída de civis doentes ou feridos, mas também de famílias de combatentes rebeldes da facção Faylaq Al Rahman, minoritária no território controlado pelo Yaish Al Islam

As pessoas que abandonam a cidade seguem para a província de Idlib, noroeste do país.

A imprensa estatal síria anunciou a "saída de um certo número de terroristas do Faylaq Al Rahman da cidade de Duma". O regime classifica os rebeldes como "terroristas".

Após a evacuação de Duma, o governo sírio assumirá o controle total de Ghuta Oriental, o que representa uma vitória militar e política de grande magnitude para o regime do ditador Bashar al-Assad. Segundo o OSDH, as forças do regime já retomaram 95% do território de Ghuta Oriental.

Após os intensos ataques que mataram 1.600 civis em cinco semanas, dois dos três grupos insurgentes que ainda estavam na região abandonaram suas posições.

Mais de 45.000 rebeldes e civis deixaram Ghuta em 10 dias, segundo o OSDH.

A cidade de Duma, em Ghuta Oriental, é o último bastião nesta região sob controle do grupo Yaish Al Islam, mas sofreu inúmeros bombardeios e um cerco permanente nos últimos três anos.

Abdel Rahman, diretor do OSDH, disse que o acordo parcial da manhã de domingo permitiu a retirada de 1.300 pessoas.

No sábado, o regime sírio prometeu prosseguir com os combates para retomar o último reduto insurgente. Como forma de pressão, as forças governistas consolidaram sua presença ao redor de Duma.

"A vitória em Ghuta é um prego no caixão dos terroristas", afirmou à TV estatal um oficial do exército sírio.

Ghuta foi uma das primeiras regiões do país a registrar manifestações contra o regime em 2011.

Nos últimos dias, milhares de habitantes de Duma fugiram para zonas sob controle do regime, transitando por corredores abertos pelo exército sírio.

Graças ao apoio militar russo, o regime de Damasco conseguiu mudar o rumo da guerra e conquistar vitórias sobre os rebeldes e jihadistas até reconquistar mais da metade do país.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App



JPS/rt/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos