O Brasil na imprensa alemã (04/04)

Situação de Lula perante a Justiça, a estratégia do ex-presidente em campanha para as eleições e o movimento das jornalistas esportivas brasileiras contra o assédio ganham espaço na mídia da Alemanha nesta semana.Tagesschau - Palácio ou cadeia? (04/04/18)

O ex-presidente Lula da Silva não abre mão de participar da próxima eleição presidencial, em outubro, apesar de ter sido condenado a 12 anos de prisão por corrupção (...) Palácio ou cadeia? Como nunca, o futuro de Lula está em aberto. Caso se candidate, terá boa chance de se tornar de novo presidente – mas, no momento, parece mais provável que Lula da Silva acompanhe a eleição de dentro da prisão.

Frankfurter Allgemeine Zeitung – No papel de vítima (31/03/18)

Teriam sido os tiros contra Lula encenados? Não há qualquer prova disso, mas isso se encaixaria na estratégia de seu partido (...) Notícias falsas, que aparentemente comprovam essa tese, circularam esses dias entre as mais lidas nas mídias sociais (...) Os boatos sobre uma autoencenação partem do princípio de que Lula e seu PT teriam interesse vital num ataque, que serviria ao ex-presidente para se apresentar como vítima da violência.

De fato o papel de vítima virou uma estratégia para Lula: ele não só se empenha em se apresentar como vítima de atiradores de extrema direita, senão também como vítima da Justiça e da mídia brasileiras, que, como acusa o partido há anos, estariam interessados em destruir Lula e o PT (...) Também em outro episódio Lula se vê como vítima: a bruxa malvada desta vez é a empresa americana Netflix (...) Cem por cento realidade será o que acontecerá no Supremo Tribunal, que decide se Lula poderá acompanhar o resto do processo contra ele em liberdade (...) Ou Lula será "vítima" da Justiça ou o contrário. Em ambos os casos, serão geradas fortes reações no Brasil.

Stern – Jornalistas esportivas se voltam contra assédio (03/04/18)

Elas são beijadas, agarradas e ofendidas – com frequência diante das câmeras. As jornalistas esportivas no Brasil tem vida difícil. Agora, 52 mulheres de uniram para protestar contra esse comportamento (...) Das mulheres é esperado que atentem à beleza, elas são alvos de assobios nas ruas, estão acostumadas a provocações atrevidas e comentários grosseiros. E esse comportamento machista se estende ao setor profissional (...) Sob o lema "deixa ela trabalhar", as jornalistas esportivas brasileiras querem simplesmente serem levadas a sério como profissionais.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos