Roteiro de três dias em Munique

Carlos Albuquerque

Ao mesmo tempo acolhedora e vibrante, capital da Baviera oferece tradição e modernidade. Conhecer suas cervejarias, museus, espaços de recreação e compras em apenas 72 horas é um desafio, mas vale a pena.A capital da Baviera dispensa apresentações. Para muitos estrangeiros, ela é a cara da Alemanha: cerveja, calças de couro, Oktoberfest e uma alta qualidade de vida. Mas Munique é muito mais do que isso. É uma cidade vibrante, com uma variedade de atrações culturais e muitas opções de vida noturna.

Leia também: Dicas de turismo em Munique

"Minga", como a metrópole é conhecida pelos locais, oferece uma mistura agradável de museus e restaurantes, salas de concertos e prédios históricos, espaços de recreação e de compras. Três dias podem ser pouco para conhecê-la, mas dá para ter um gostinho da cidade.

1° Dia: Centro histórico

Reserve o primeiro dia para conhecer o centro histórico da capital da Baviera. Há uma linha de metrô que sai da praça Marienplatz, considerada o ponto central da cidade. Ali se encontra o prédio histórico da prefeitura de Munique, cuja principal atração é um carrilhão com figuras em tamanho real, que toca diariamente às 11h e às 12h e, entre março e outubro, também às 17h e às 21h.

Continuando o passeio pelo centro, a próxima estação será a igreja de St. Peter, uma das mais antigas da cidade, cuja torre é conhecida popularmente como "Alter Peter" (Velho Pedro). Prosseguindo pela zona de pedestres, você vai chegar à famosa igreja Frauenkirche (Catedral de Nossa Senhora), um dos principais cartões-postais da cidade.

Depois da Frauenkirche, prossiga até a igreja Asamkirche, com seu magnífico interior em estilo rococó, e conheça mais sobre Munique no Stadtmuseum (Museu Municipal).

A poucos metros dali, você pode tomar um café da manhã bávaro ou almoçar num dos pontos mais agradáveis da cidade, o mercado Viktualienmarkt, uma praça de 22 mil metros quadrados de área, repleta de biergärten, barracas de feira, restaurantes e lojas com produtos de todo o mundo e especialidades bávaras – uma visita imperdível.

Além de muitos monumentos, o coração da capital bávara também é ocupado por todos os tipos de lojas. Assim, não faltarão oportunidades para fazer uma comprinha ou outra no caminho até a Residenz, onde pode-se visitar o antigo palácio dos reis da Baviera, com seus dez pátios e 130 aposentos e transformado num museu de artes decorativas.

Logo ao lado, pode-se visitar os jardins renascentistas do Hofgarten, a igreja Theatinerkirche e o monumento às vitórias militares bávaras Feldherrnhalle, outro famoso cartão-postal da cidade. Aproveite o fim do primeiro dia para jantar ou simplesmente tomar uma cerveja em outra atração obrigatória no centro histórico da capital da Baviera: a cervejaria Hofbräuhaus.



2° Dia: Arte, jardins e vitrines

Aproveite a manhã do segundo dia para conhecer a área em torno da praça Königsplatz. Com seus museus e pinacotecas, ali estão as principais coleções de arte da cidade, num espectro que vai da Antiguidade aos nossos dias.

A Glyptothek abriga uma importante coleção de esculturas gregas e romanas. Como o próprio nome revela, a Antikensammlung (Coleção de Antiguidades) mostra objetos do cotidiano e da mitologia da Antiguidade Clássica. Na Lenbachhaus, podem-se admirar importantes obras expressionistas.

A Pinakothek der Moderne (Pinacoteca Moderna) exibe arte contemporânea. A Neue Pinakothek (Nova Pinacoteca) traz pinturas que vão do classicismo ao art nouveau e, na Alte Pinakothek, o visitante encontra uma coleção importante de pinturas dos séculos 14 ao 18. Já o Museum Brandhorst possui uma interessante coleção de arte moderna.

No caminho para a próxima atração, aproveite para almoçar num dos biergärten ou passear pelo Englischer Garten (Jardim Inglês), um dos maiores parques urbanos do mundo e um dos lugares mais frequentados pelos moradores da cidade, principalmente nos meses mais quentes. Não perca os surfistas no riacho Eisbach.

Aproveite o resto do dia para passear pelas principais ruas de comércio da metrópole banhada pelo rio Isar, como a famosa rua Maximiliamstrasse, um dos endereços mais exclusivos de Munique e visita obrigatória para qualquer turista. No centro histórico, entre as praças Odeonplatz e Marienplatz, não faltam oportunidades para fazer compras e olhar vitrines.

Mas é na zona de pedestres entre a praça Marienplatz e a Karlsplatz, conhecida popularmente por Stachus, que se encontra um dos lugares mais movimentados da capital da Baviera, com uma oferta interessante de pequenas e grandes lojas ao longo das ruas Neuhauser Strasse e Kaufinger Strasse.

No fim do dia ou se quiser sair de noite, uma boa pedida é passear pela rua Leopoldstrasse, no movimentado bairro de Schwabing. Principalmente entre as estações de metrô Münchner Freiheit e Siegestor, o calçadão se transforma numa passarela para ver e ser visto, repleta de cafés, bares e restaurantes.



3° Dia: Natureza e técnica

Use o último dia para conhecer algumas outras atrações imperdíveis da capital da Baviera. É bom começar cedo para conseguir aproveitar melhor as atrações.

Todos os anos, 5 milhões de pessoas visitam as instalações construídas para abrigar os Jogos Olímpicos de 1972 na capital da Baviera. Não deixe de ir ao Olympiastadion (Estádio Olímpico) e, se quiser ter uma visão panorâmica do conjunto, suba ao restaurante ou à plataforma de observação da Olympiaturm (Torre Olímpica), a mais de 180 metros de altura. A torre fica aberta a visitantes das 9h à meia-noite.

Em frente ao Parque Olímpico, fica o BMW Welt ou Mundo BMW, um espaço de eventos e exposições onde o cliente pode conhecer as novidades da montadora bávara e receber o seu carro novo. No entanto, a grande estrela continua sendo o edifício em forma de nuvem projetado pelo escritório austríaco Coop Himmelb(l)au. Logo em frente, vale a pena conhecer também o moderníssimo BMW Museum.

Aproveite a tarde para passear pelo rio Isar. Do centro histórico, pegue a linha de bonde (Tram) 19 e desça a rua Prinzregentenstrasse, passando pelo Bayerisches Nationalmuseum (Museu Nacional Bávaro). Atravesse a ponte Luitpoldbrücke até a estátua do Friedensengel (Anjo da Paz), outro símbolo de Munique. Continuando nas margens do Isar, você chegará à ponte Ludwigsbrücke. Mas para economizar tempo, pegue a linha 17 na praça Max-Weber-Platz e desça na Ludwigsbrücke.

Além de uma bela vista do Isar, a poucos metros da ponte Ludwigsbrücke, numa ilha fluvial, você vai se deparar com uma das principais atrações de Munique: o Deutsches Museum ou Museu Alemão, o mais visitado da Alemanha. Com 45 mil metros quadrados de área de exposição, ele é um dos maiores museus tecnológicos e de ciências naturais do mundo.

Nele, é possível acompanhar a evolução das ciências naturais através de objetos e experimentos e conhecer grandes contribuições alemãs e internacionais para a evolução da tecnologia, como submarinos, aviões, instrumentos, satélites e foguetes – originais. Uma tarde talvez seja pouco para percorrer todas as 53 seções do museu, mas ele é certamente um bom motivo para retornar à bela capital da Baviera.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos