Metade dos imigrantes falha em teste de idioma alemão

Ao final de curso de integração, 50% dos refugiados e imigrantes que completam exame oficial não conseguem atingir padrão mínimo de conhecimento da língua, informou jornal.Metade dos refugiados e imigrantes que vivem na Alemanha não consegue passar em um teste básico de idiomas ao final dos cursos de integração oferecidos aos recém-chegados, informou reportagem publicada neste domingo (29/04) pelo jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAS), que citou dados do Depatamento Federal de Migração e Refugiados (BAMF).

Segundo o jornal, em 2017, 339.578 pessoas participaram do curso pela primeira vez. Destas, 289.751 fizeram o teste para atestar seus conhecimentos do idoma alemão.

Das que completaram o teste, apenas 48,7% atingiram o padrão B1 para idiomas previsto para ser alcançado após o curso, disse o jornal. Cerca de 40% alcançaram apenas o nível A2, abaixo do B1, enquanto o restante não conseguiu nem alcançar o A2.

Após o curso, espera-se que os participantes compreendam uma conversa pausada, comuniquem-se em sentenças simples e entendam textos do dia a dia.

Falta de experiência de aprendizagem

Em uma tentativa de explicar a alta taxa de insucesso, o BAMF disse ao jornal que vários participantes do curso adoeceram, enquanto outros encontraram emprego ou se mudaram e, portanto, não puderam participar do teste final.

O relatório também citou o diretor de um instituto de educação de adultos que oferece treinamento em idiomas dizendo que muitos refugiados ainda estavam traumatizados por suas experiências, enquanto outros não possuíam a "cultura de aprendizado" necessária já que nunca frequentaram a escola em seus países de origem.

O FAS também citou um relatório do Escritório Federal de Auditoria afirmando que muitos refugiados falharam em comparecer regularmente aos cursos de idiomas oferecidos pela Agência Federal de Emprego da Alemanha.

O jornal apontou que esses cursos não estavam sujeitos aos mesmos regulamentos de comparecimento daqueles que ficam sob a supervisão da BAMF.

Aspectos sobre a cultura alemã

Os cursos de integração, que tem duração típica de seis meses, são divididos em duas partes: um curso de idiomas geralmente composto por 600 lições e uma segunda etapa que informa participantes sobre aspectos da cultura, história, sistema legal e valores da Alemanha.

Os cursos são oferecidos a cidadãos não alemães que pretendem viver permanentemente na Alemanha, incluindo emigrantes de outros países da União Europeia e refugiados. Este último grupo é em grande parte cobrado pelas autoridades alemãs para participar de tal curso.

As pessoas que passam em ambas as etapas do curso recebem o certificado de curso de integração.

JPS/afp

________________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App |Instagram

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos