França condena fala de Trump sobre atentados em Paris

Ministro do Exterior francês pede respeito às vítimas e defende restrições a porte de armas. Ex-presidente Hollande chama declarações de "vergonhosas". Prefeita de Paris diz que "encenação" do americano foi "indigna$escape.getQuote().A França desaprovou de forma severa declarações realizadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre os ataques terroristas de novembro de 2015, em Paris, para defender sua posição sobre a livre circulação de armas.

Em nota divulgada na noite deste sábado (06/05), o ministro do Exterior francês, Jean-Yves Le Drian, pediu mais respeito pelas vítimas e expressou "firme desaprovação" com as afirmações, defendendo a legislação vigente na França sobre a restrição ao porte de armas de fogo.

De acordo com o comunicado, a livre circulação de armamento "não constitui um bloqueio aos ataques terroristas e pode facilitar o planejamento deste tipo de ação". O texto afirma que cada país deve definir as suas próprias regras sobe o tema e que a França "está orgulhosa de ser um país onde a compra e o porte de armas de fogo estão rigidamente regulamentados".

Na sexta-feira, Trump justificou a facilidade para se obter uma arma nos Estados Unidos em nome do "direito de liberdade", durante discurso na convenção anual da Associação Nacional do Rifle (NRA). Ele também disse que a França é um dos países com a legislação mais restritiva para o porte de armas e, citando o massacre na casa de espetáculos Bataclan, afirmou que "se alguém naquele lugar tivesse uma arma (...) a história teria sido outra".

Depois, ele lamentou que "ninguém" tenha arma em Paris e afirmou que as pessoas que morreram naquela noite "foram brutalmente assassinadas por um grupo de terroristas armados". Para dar mais realismo ao que falava, Trump simulou a ação dos jihadistas no Bataclan: "'Vem cá!' 'Peng!' 'Vem cá!' 'Peng!'' Os sobreviventes disseram que durou uma eternidade, mas se alguém naquele lugar tivesse armado, os terroristas teriam fugido ou morrido".

O Ministério do Exterior francês lembrou que os atentados de 13 de novembro de 2015, nos quais 130 pessoas morreram e centenas ficaram feridas, foram planejados fora da França e que neles foram utilizadas "armas de guerra".

O então presidente da França, François Hollande, também criticou Trump e escreveu no Twitter que as declarações são "vergonhosas".

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, igualmente reprovou a atitude do presidente americano. Ela afirmou que a "a encenação dos atentados de 2015" é "depreciativa e indigna".

MD/ap/dpa/efe

___________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App |Instagram

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos