EUA prometem ajudar Pyongyang se regime desistir de armas nucleares

Secretário de Estado disse que americanos estão dispostos a trabalhar para que norte-coreanos alcancem a prosperidade dos seus vizinhos do sul.EUA prometem ajudar Pyongyang se regime desistir de armas nucleares

Secretário de Estado disse que americanos estão dispostos a trabalhar para que norte-coreanos alcancem a prosperidade dos seus vizinhos do sul.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, anunciou na sexta-feira (11/05) que os Estados Unidos ajudarão economicamente à Coreia do Norte se o regime se desfizer de suas armas nucleares e iniciar o caminho ruma a uma desnuclearização "completa, verificável e irreversível" da península norte-coreana.

"Se a Coreia do Norte tomar medidas valentes para se desnuclearizar rapidamente, os EUA estão dispostos a trabalhar com a Coreia do Norte para conseguir uma prosperidade no nível de nossos amigos sul-coreanos", disse Pompeo em entrevista coletiva no Departamento de Estado junto à chanceler sul-coreana, Kang Kyung-wha.

Até que haja um acordo, Washington pretende manter uma campanha de "máxima pressão" com sanções sobre a Coreia do Norte, que viu dificultada sua capacidade para fazer negócios com empresas procedentes da China, sua tradicional aliada, algo que acabou por isolar ainda mais economicamente o fechado país.

Perguntada pela imprensa, Kang indicou que a Coreia do Sul quer que as sanções sejam mantidas até que Pyongyang adote medidas "mais amplas e mais concretas".

"Não estamos falando sobre um alívio das sanções neste momento", destacou.

A oferta de futura ajuda econômica de Pompeo acontece no momento em que EUA e Coreia do Norte se preparam para a histórica cúpula entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente Donald Trump, que acontecerá em 12 de junho em Cingapura, país com o qual ambos mantêm boas relações.

Tanto Kang como Pompeo reiteraram que seu objetivo é conseguir uma desnuclearização "completa, verificável e irreversível" da península norte-coreana.

Os jornalistas perguntaram ao chefe da diplomacia americana sobre o significado dessa frase, que Washington repete sem cessar, e especificamente lhe pediram para explicar se uma desnuclearização "completa, verificável e irreversível" implicaria em inspeções às usinas nucleares da Coreia do Norte.

"Acredito que há um acordo completo sobre quais são os objetivos finais", afirmou Pompeo, que se recusou a oferecer mais detalhes.

Pompeo se dirigiu à imprensa depois de ter visitado a Coreia do Norte nesta semana para se reunir com Kim e levar de volta aos Estados Unidos três americanos presos na Coreia do Norte.

"Justamente ontem voltei de Pyongyang, onde tive conversas produtivas com o presidente Kim Jong-un em preparação da cúpula com o presidente Trump. Foi uma honra que uma das minhas primeiras ações como secretário de Estado tenha sido negociar o regresso seguro de três cidadãos dos Estados Unidos", ressaltou.

Pompeo assumiu o cargo como secretário de Estado no último dia 26 de abril, depois de ter dirigido a CIA (agência de inteligência dos EUA) durante 15 meses.

JPS/efe

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos