Roteiro de três dias em Berchtesgaden

Carlos Albuquerque

Formada por vilarejos encrustados nas montanhas da Baviera, região alpina alemã atrai turistas de todo o mundo. Seu passado infame como segunda sede de governo nazista não conseguiu ofuscar sua beleza.Os vilarejos de Berchtesgaden, Bischofswiesen, Ramsau, Schönau am Königssee e Marktschellenberg deram origem ao município de Berchtesgadener Land, mas Berchtesgaden se tornou um termo genérico para denominar a região turística formada por essas pequenas cidades.

Desde meados do século 19, mas principalmente após o fim da Guerra Franco-Prussiana (1870-1871) e a abertura da Estação Ferroviária de Berchtesgaden em 1888, o turismo se desenvolveu rapidamente na região.

A cidade de Berchtesgaden está localizada no sudeste da Baviera, a 35 quilômetros da austríaca Salzburgo, a 155 quilômetros de Munique e a 19 quilômetros de Bad Reichenhall, sede do município. Durante a era nazista, o bairro de Obersalzberg se tornou "área restrita do Führer" (Führersperrgebiet), já que Adolf Hitler manteve ali a sua residência de férias até o fim da Segunda Guerra Mundial.

A beleza do lugar, no entanto, superou a triste fama e a região continuou a atrair turistas alemães e estrangeiros após a guerra. É possível fazer um bate e volta a partir de Salzburgo ou até mesmo de Munique. No entanto, além da paisagem alpina estonteante, a região oferece atrações turísticas suficientes para justificar uma estadia mais prolongada.

1° Dia: Centro histórico e Lago Königssee

Depois do café da manhã, aproveite o início do seu primeiro dia em Berchtesgaden para conhecer o centro histórico do vilarejo cuja origem remonta ao início do século 12. É possível fazer um tour guiado pela cidade. Não deixe de ir à praça Schlossplatz (Praça do Castelo), onde se localiza a igreja Stiftskirche (Igreja do Mosteiro) e o Palácio Real de Berchtesgaden (Königliches Schloss Berchtesgaden).

Foi em torno da igreja Stiftskirche, construída originalmente em 1122 e reformada várias vezes ao longo dos séculos, e do mosteiro adjacente que a região se desenvolveu. O prédio atual da igreja foi erguido no século 19, mas ainda há elementos das antigas construções, como o portal do átrio principal.

No início do século 19, o prédio do mosteiro e seu claustro românico ainda hoje preservado passaram para as mãos da família real da Baviera, cujos descendentes o utilizam até hoje como Palácio Real. Após a revolução que pôs fim à monarquia na Alemanha, em 1918, o príncipe herdeiro Rupprecht da Baviera mudou-se para Berchtesgaden, já que o palácio foi dado à antiga Casa Real como forma de reparação.

Atualmente, o edifício é utilizado como segunda residência do duque Franz da Baviera, neto de Rupprecht. É possível visitar 30 dos 120 aposentos do prédio. Há uma exposição de porcelanas e objetos reais antigos, como também um museu de caça. Todas as sextas-feiras às 10h30, a visita guiada é com acompanhamento musical.

Aproveite o resto do seu primeiro dia para um passeio encantador e relaxante pelo lago Königssee. Situado em Schönau am Königssee, aos pés da montanha Watzmann e a poucos mais de 5 quilômetros do centro de Berchtesgaden, o Königssee é um lago montanhoso com mais de 6 quilômetros de extensão, pouco mais de 1 quilômetro de largura e uma profundidade de até 190 metros. Muitas vezes traduzido como "lago do rei", seu nome original (Kunigsee), no entanto, remonta ao nome masculino Kuno em vez de "König" (rei, em alemão).



Encrustado entre montanhas como um fiorde, o lago de água verde-esmeralda se situa aos pés do pico Watzmann, um dos cartões-postais da região. O Königssee forma o coração do Parque Nacional (Nationalpark) Berchtesgaden e englobava, originalmente, o Obersee, lago menor situado ao sul.

O parque foi criado em 1978, mas o Königssee e entorno já eram considerados área de proteção ambiental desde 1910, como Pflanzenschonbezirk Berchtesgadener Alpen (Zona de Proteção Vegetal Alpes de Berchtesgaden).

Andar de barco pelo Königssee é um dos passeios imperdíveis em Berchtesgaden. Apesar do grande número de visitantes, o Königssee é um dos lagos mais limpos da Alemanha. Os barcos de turismo são elétricos. Durante a ida, o condutor faz uma parada diante de um dos paredões de pedra, conhecido como (Parede do Echo) Echowand, e toca um trompete, cujo som ecoa uma ou duas vezes pelo lago.

Os barcos operam de abril a outubro. A primeira parada lhe levará a uma igreja de peregrinação erguida em 1134. A construção românica original da Igreja de São Bartolomeu (Kirche St. Bartholomä) foi substituída no final do século 17, como provam as suas cúpulas bulbosas, típicas do barroco da Baviera.

Ali você pode descer, conhecer a igreja e o entorno, sentar-se no biergarten ou, se preferir, seguir com o barco até Salet. E, de lá, a pé por cerca de 15 minutos até o lindo lago Obersee. O circuito até a igreja St. Bartholomä dura 35 minutos e mais 20 minutos até a parada de Salet. Há barcos de meia em meia hora. Mas cuidado para não perder o último barco de volta, já que o horário varia dependendo da época do ano.



2° Dia: Teleférico Jennerbahn e mina de sal Salzbergwerk

Em Schönau am Königssee, não muito longe do ponto de embarque para o passeio de barco, um teleférico leva até o alto da montanha Jenner, onde um restaurante espera os visitantes com um terraço ao ar livre. Caminhando mais um pouco até o topo, situado a 1.874 metros de altitude, você vai ter uma visão de tirar o fôlego: o Parque Nacional de Berchtesgaden, com o pico Watzmann e o Lago Königssee.

Watzmann é o terceiro pico mais alto da Alemanha, com 2.713 metros de altitude. Ele se tornou símbolo da região de Berchtesgaden desde que foi imortalizado no quadro do pintor romântico alemão Caspar David Friedrich, de 1824/25. Diz a lenda que o cruel rei Watze certa vez aterrorizou a região. Como punição, Deus o teria transformado em pedra (o pico maior), junto à sua mulher e seus filhos (picos menores).

Em agosto de 2018 está sendo inaugurada uma nova estação do teleférico Jennerbahn, com uma loja de esportes e depósito de esquis na Talstation (estação do vale). O novo bondinho vai dispor de cabines para dez pessoas até a parada intermediária (Mittelstation) a 1.200 metros de altura, onde um novo restaurante promete ser um "paraíso para famílias". Dali, o visitante pode iniciar caminhadas por trilhas com diferentes graus de dificuldade ou seguir para a Bergstation a 1.800 metros de altitude.

Se ainda der tempo, aproveite o resto do dia para outra visita imperdível: à mina de sal Salzbergwerk Berchtesgaden, a mais antiga mina de sal de pedra ainda em atividade na Alemanha. Em 2017, ela festejou seu 500° aniversário. Se hoje 90% dos habitantes da região vivem direta ou indiretamente do turismo, a partir da Idade Média, a exploração desse produto garantiu por muito tempo o sustento dos moradores.

Uma área de aproximadamente 6 mil metros quadrados foi transformada numa espécie de parque temático com estações emocionantes sobre o tema sal: depois de entrar 650 metros com um trenzinho no fundo da montanha, o visitante chega ao espetáculo de luzes da Salzkathedrale (catedral do sal). A partir dali, passarelas e tobogãs levam, entre outros, a uma gruta, a um laboratório com câmara do tesouro e ao ponto alto do passeio: o Spiegelsee (Lago do Espelho).

Anualmente, mais de 350 mil turistas visitam Salzbergwerk Berchtesgaden. O passeio guiado dentro da mina dura cerca de uma hora. É preciso usar vestimenta de proteção que se obtém no local. Não se esqueça de que a temperatura dentro da mina gira em torno dos 12°C. Não é preciso usar sempre os tobogãs, no caminho de 800 metros do passeio, há também escadas entre as estações.



3° Dia: Centro de Documentação Obersalzberg ("Ninho da Águia")

Em Obersalzberg, hoje um bairro de Berchtesgaden, Adolf Hitler alugou a partir de 1928 uma casa de campo que comprou e transformou no chamado Berghof, sua segunda residência oficial, depois que assumiu o poder em 1933.

Berghof estava no núcleo da Führersperrgebiet ("área restrita do Führer") Obersalzberg. Nesse areal, também altos funcionários do Partido Nazista, como Hermann Göring, Albert Speer e Martin Bormann possuíam segunda residência. A partir de 1937, Obersalzberg se tornou a segunda sede de governo e um local central do regime nazista.

Hitler passou ali um terço de seu tempo no poder, encontrando-se com políticos e diplomatas, tomando importantes decisões de guerra, enquanto o pano de fundo alpino servia de idílico cenário midiático para mostrar o ditador nazista como um governante perto do povo, amante das crianças e da natureza, bom vizinho e grande estadista.

Em 1938 foi construída numa montanha mais acima a Kehlsteinhaus, uma casa de chá onde Hitler recebeu algumas poucas vezes seus convidados e que não foi, como diz a lenda, um presente para o aniversário de 50 anos do ditador em 1939.

Na Segunda Guerra, os bombardeios aliados atingiram somente as edificações na "área restrita do Führer", não danificando praticamente os prédios dos vilarejos de Berchtesgaden. O Berghof foi seriamente atingido e foi destruído pelo governo da Baviera no sétimo aniversário da morte do ditador, em 30 de abril de 1952.

Essa foi uma das condições estipuladas pelas forças de ocupação americanas para que a Baviera pudesse utilizar novamente o local para fins turísticos. Também conhecida como "Ninho da Águia", a Kehlsteinhaus (casa do pico Kehlstein) é a única edificação original que restou dos prédios da "área restrita do Führer".



Desde 1952, ali funciona um restaurante. Uma exposição informa sobre a história do lugar. Só é possível chegar até lá de ônibus, saindo do Parkplatz Obersalzberg, a alguns minutos de carro do centro de Berchtesgaden. O restaurante fica aberto até as 17h, somente de maio a outubro. Situado a 1.881 metros de altitude, o "Ninho da Águia" oferece uma vista incrível da região.

Depois da guerra, tropas americanas utilizaram Obersalzberg como área de recreação. Após a sua saída, em 1999, foi construído ali o centro de documentação Dokumentationszentrum Obersalzberg, como um sinal para uma reflexão crítica sobre a era nazista em Berchtesgaden.

Além de uma exposição permanente, o centro de documentação também promove mostras temporárias, eventos, palestras e uma abrangente oferta educativa. O Dokumentationszentrum Obersalzberg se situa ao lado do Parkplatz Obersalzberg e está aberto todos os dias, entre 9h e 17h.

Se ainda tiver tempo ou decidir passar mais dias em Berchtesgaden, a região oferece uma série de outras atividades, como a visita a uma falcoaria (Adlergehege am Obersalzberg), onde você pode admirar a beleza de águias e outras aves de rapina.

Os amantes da natureza também pode visitar o centro de informação Haus der Berge (Casa das Montanhas), situada numa colina no Parque Nacional de Berchtesgaden, com vista para o pico Watzmann. O centro possui uma biblioteca, espaço de exposições, cinema e uma cantina.

No centro está a exposição Selva Vertical (Vertikale Wildnis), na qual os visitantes podem conhecer todo o espectro da vida no Parque Nacional de Berchtesgaden, num passeio pelos habitats água, florestas, pastagens alpinas e rochas.

E, se o tempo estiver ruim, que tal fazer sauna e tomar um banho de salmoura nas termas Watzmann Therme? Se por outro lado estiver fazendo muito calor, você pode tomar um sorvete na fazenda Stöcklhof no vilarejo de Ramsau. O produto orgânico é feito com o leite das vacas que pastam no Parque Nacional. Uma delícia!

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos