PUBLICIDADE
Topo

O resultado do segundo turno nos estados

29/10/2018 07h20

Surfando em onda bolsonarista, Doria é eleito em São Paulo, e Witzel, no Rio. No balanço final após os dois turnos, PT fica com maior número de representantes nos estados, e PSL dá maior salto em relação a 2014.Além das eleições presidenciais, 13 estados e o Distrito Federal foram palco neste domingo (28/10) de um segundo turno na disputa pelos governos estaduais.

Em São Paulo, o ex-prefeito João Doria (PSDB) foi eleito governador. Em uma votação apertada, o tucano recebeu 51,75% dos votos válidos contra 48,25% do atual governador Márcio França (PSB). Desde o resultado no primeiro turno, Doria declarou apoio ao agora presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e abraçou o voto BolsoDoria.

No Rio de Janeiro, a vitória foi para o novato Wilson Witzel (PSC), que obteve 59,87% dos votos. Seu adversário, Eduardo Paes (DEM), recebeu 40,13%.

Em discurso após a vitória, Witzel agradeceu o apoio do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), filho de Jair Bolsonaro. O presidente eleito se manteve neutro na disputa pelo governo do Rio, mas desde o primeiro turno Witzel tem associado seu nome ao do presidenciável do PSL.

Em Minas Gerais, um candidato que, assim como Witzel, também disputou pela primeira uma eleição foi eleito: Romeu Zema (Novo) ficou com 71,80% dos votos válidos, contra os 28,20% de Antonio Anastasia (PSDB).

Além de São Paulo, o PSDB elegeu candidatos para os governos do Rio Grande do Sul, onde Eduardo Leite conquistou 53,62% dos votos, e do Mato Grosso do Sul, que reelegeu o atual governador Reinaldo Azambuja, com 52,35%.

No Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) foi eleito com 69,79% dos votos. A legenda também se saiu vitoriosa neste segundo turno na disputa pelo governo do Pará, com a eleição de Helder Barbalho (55,43%).

Já candidatos novatos do PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro, conquistaram os governos de Rondônia, com a vitória Coronel Marcos Rocha (66,34%); de Roraima, com a eleição de Antonio Denarium (53,34%); e de Santa Catarina, com Comandante Moisés (71,09%).

Em Sergipe, foi reeleito o candidato do PSD, Belivaldo Chagas (64,7%). No Amazonas, venceu Wilson Lima (58,50%), do PSC. O Amapá reelegeu o governador Waldez Góes (PDT), com 52,35% dos votos válidos.

O Rio Grande do Norte elegeu a única mulher que governará um estado do país nos próximos quatro anos: a candidata Fátima Bezerra (PT) conquistou 57,60% dos votos válidos.

Apesar de ter elegido um governador a menos do que no pleito de 2014, ao todo, o PT foi o partido que mais elegeu candidatos para os governos estaduais nos dois turnos, com quatro. A maior perda foi a do MDB, que caiu de sete governadores eleitos em 214 para apenas três neste ano. O PSDB também perdeu dois, ficando com a liderança de três estados.

O PSL foi o partido que teve o maior saldo positivo nesta eleição, passando de nenhum governador eleito em 2014 para três. A legenda foi seguida pelo PSC e DEM, com ambos saltando de zero para dois estados.

CN/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube

| WhatsApp | App | Instagram | Newsletter