PUBLICIDADE
Topo

Chefe da agência ambiental da ONU renuncia após escândalo

21/11/2018 11h42

Em menos de dois anos, norueguês Erik Solheim gastou quase 500 mil dólares em viagens e ficou longe da sede do órgão durante 80% do tempo, aponta auditoria. Ele diz que continuará lutando pela causa ambiental.O diretor executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), Erik Solheim, renunciou ao cargo nesta terça-feira (20/11) após ser alvo de críticas por gastos excessivos em viagens oficiais.

Segundo uma auditoria, Solheim – que foi ministro do Meio Ambiente da Noruega – viajou em 529 dos 668 dias auditados, ficando longe da base do Pnuma, em Nairóbi, durante 80% do tempo. Ele gastou quase 500 mil dólares em passagens e hotéis em apenas 22 meses, segundo o jornal britânico The Guardian, que teve acesso a um rascunho do relatório da auditoria.

O jornal apontou que o documento afirmou que se tratava de um "risco à reputação" da organização, dedicada a combater as mudanças climáticas. Países insatisfeitos com os gastos de Solheim estariam retendo contribuições à agência, também chamada de ONU Meio Ambiente.

Solheim disse em comunicado que decidiu renunciar ao cargo de direito executivo após receber o relatório sobre a auditoria no último sábado.

"Eu sempre estive e continuo estando comprometido com o que acho que é o melhor a ser feito em benefício do Pnuma e da missão que queremos alcançar", disse. O órgão da ONU desempenha um papel de liderança na definição da agenda ambiental global.

O norueguês disse esperar que sua renúncia, anunciada "após uma reflexão profunda e em discussão com a secretaria geral", mostre ter sido uma decisão que levou em conta o melhor para o Pnuma e a ONU como um todo.



"Estou triste em deixar o Pnuma, pois alcançamos muito juntos. Vou continuar lutando pela causa ambiental", escreveu Solheim no Twitter.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, aceitou a renúncia de Solheim, que deverá deixar o cargo nesta quinta-feira, afirmou o porta-voz Stephane Dujarric.

Dujarric descreveu Solheim como "uma voz de liderança para chamar a atenção do mundo para desafios ambientais críticos, incluindo poluição por plásticos e circularidade, ação climática, os direitos de defensores do meio ambiente, biodiversidade e segurança ambiental".

Ao ser questionado sobre a reação de Guterres ao "escândalo" envolvendo Solheim, o porta-voz afirmou que Guterres ficou contente em ver que estão sendo implementadas recomendações feitas pelo Escritório de Serviços de Supervisão Interna da ONU.

A vice-diretora executiva do Pnuma, Joyce Msuya, da Tanzândia, assumirá a chefia do órgão interinamente até que seja escolhido o sucessor de Solheim.

LPF/rtr/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube

| WhatsApp | App | Instagram | Newsletter