Topo

Desfile de crianças aptas a adoção repercute na mídia internacional

Crianças e adolescentes disponíveis para adoção desfilam em evento em Cuiabá - Reprodução/Facebook
Crianças e adolescentes disponíveis para adoção desfilam em evento em Cuiabá Imagem: Reprodução/Facebook

24/05/2019 16h51

Um desfile protagonizado por crianças e adolescentes aptos para adoção em um shopping de Cuiabá causou polêmica nesta semana.

O evento "Adoção na passarela" foi alvo de críticas da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Defensoria Pública Estadual e repercutiu nas redes sociais e na imprensa internacional. Publicações de Alemanha, França, Reino Unido e Espanha afirmaram que o evento causou indignação e foi comparado a leilões de escravos ou gado.

A segunda edição do evento "Adoção na passarela", organizado pela Ampara (Associação Matogrossense de Pesquisa e Apoio à Adoção) em parceria com a CIJ (Comissão de Infância e Juventude) da OAB-MT (Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso), ocorreu na terça-feira (21).

Dezoito adolescentes aptos para adoção, juntamente com um padrinho ou uma madrinha da Ampara, e 13 pais junto com seus filhos já adotados percorreram a passarela de uma área no Pantanal Shopping. Na plateia, candidatos a pais e o público comum observavam o evento.

O desfile havia recebido o aval de juízes das varas da Infância e Juventude de Cuiabá e Várzea Grande.

A Comissão de Infância e Juventude da OAB-MT e a Ampara divulgaram uma nota de esclarecimento afirmando que nunca foi objetivo do evento apresentar crianças e adolescentes a famílias para a concretização da adoção e que nenhuma família ou adolescente foi obrigado a participar do desfile.

A falta de interessados na chamada 'adoção tardia' faz com que seja urgente a adoção de medidas como a Semana da Adoção, que tornam público esse problema social

Nota da OAB-MT e da Ampara

Veja a repercussão na mídia internacional:

Der Spiegel: "Shopping exibe crianças para adoção"

No Brasil, um desfile de crianças para adoção realizado num shopping causou indignação. Os internautas compararam o evento "Adoção na passarela" com leilões de escravos ou gado.

"Estão sendo vendidos animais ou escravos?", perguntou um usuário do Facebook. "Vergonhoso. É como uma exibição de crianças na forma de um mercado de gado", escreveu outro. "Como escravos - já mostraram os dentes?", indagou outro usuário da rede social.

Alguns usuários da internet também defenderam a campanha. "Esses desfiles de moda tornaram possível mudar a vida de muitos meninos e meninas", argumentou um usuário do Facebook.

Daily Mail: "Órfãos são forçados a desfilar diante de potenciais pais adotivos num desfile de adoção comparado a um mercado de escravos"


Um "desfile de adoção", que viu órfãos de apenas quatro anos desfilando diante de pais adotivos em potencial, foi comparado a um mercado de escravos em meio a uma efusão de fúria pública. A agência local de adoção descreveu o evento como "uma noite em que os pretendentes - pessoas que estão aptas para adotar - podem conhecer as crianças que são elegíveis para adoção".


Mas o espetáculo de órfãos sendo forçados a posar na passarela foi alvo de críticas, com alguns até mesmo comparando o tratamento dado às crianças ao esperado para animais ou escravos.


Eduardo Mahon, advogado do Mato Grosso, escreveu: "As crianças na passarela para pretendentes ver o quão bonitas, simpáticas e desenvoltas são, parece-me uma antiga feira de escravos, onde os senhores viam os dentes e o corpo dos africanos para negociar o lance."


El País: "Polêmica no Brasil por um desfile para a adoção de crianças"

O ato [...] foi comparado com a venda de gado e escravos. [...] O evento tem foi duramente criticado nas redes sociais. "No Brasil de @jairbolsonaro já se pode ir a um centro comercial e comprar sapatos, bolsas e crianças...", disse o usuário @javisetero no Twitter.

Apesar de o desfile ter sido realizado no início da semana, ainda há muitos que o criticam nesta sexta-feira. Mas nem todos eram contra, embora a maioria o fosse. Alguns tuítes sublinharam que a iniciativa "era boa para as crianças".

Diante de uma enxurrada de críticas, os organizadores ressaltaram no Facebook que o objetivo nunca foi de apresentar crianças e adolescentes às famílias para alcançar a adoção, embora tenham assegurado que duas das crianças que desfilaram naquele dia conseguiram ser adotadas.

A associação de advogados [OAB] também quis mostrar seu descontentamento com as comparações feitas com o tráfico de escravos: "Um período obscuro de nossa história - a escravidão foi abolida no Brasil em 1888 pela Lei Áurea - que rechaçamos".

Le Monde: "No Brasil, polêmica sobre desfile de crianças esperando por adoção"

Era um desfile de moda organizado num centro comercial. Mas os modelos eram crianças à espera de uma família adotiva. O evento gerou uma polêmica acalorada no Brasil, onde os organizadores foram acusados de reproduzir cenas da venda de escravos ou gado.

A indignação de muitos usuários das redes sociais levou os organizadores a reagir, afirmando em particular que nenhuma criança tinha sido forçada a participar [do evento]. "Nunca tivemos o objetivo de apresentar as crianças às famílias para adoção", escreveram na sua conta no Facebook. "Repudiamos qualquer tipo de distorção do evento associando-o a períodos sombrios de nossa história."

Mais de 9.500 crianças e adolescentes estão esperando por uma família adotiva no Brasil.

Mais Notícias