Mais informação com menos tempo de leitura
Topo

Boris Johnson compara Reino Unido a Hulk

15/09/2019 13h19

"Quanto mais se irrita, mais forte fica", diz premiê britânico, frisando que super-herói sempre se livra das "amarras". Ex-premiê David Cameron afirma que Johnson optou pelo Brexit por mera ambição política.Em meio à tensão e o caos Brexit, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, vê o Reino Unido como um super-herói que, apesar de todas as dificuldades, sempre sai vitorioso. "Quanto mais irritado Hulk fica, mais forte Hulk fica", disse. "E ele sempre escapa, não importa o quão amarrado ele parecesse estar – e esse é o caso deste país", comparou, em entrevista publicada neste domingo (15/09) pelo jornal Mail on Sunday, citando o personagem de quadrinhos conhecido pela grande fúria destrutiva e pela pele esverdeada.

Johnson disse haver "um tremendo progresso" nas negociações com a União Europeia (UE) e está confiante que conseguirá fechar um novo acordo sobre a saída do Reino Unido na cúpula da UE marcada para meados de outubro.

Johnson continua desafiador, embora o Parlamento britânico tenha aprovado uma lei exigindo que ele busque um adiamento do prazo de saída, se não for alcançado um acordo até meados de outubro. Ele também perdeu sua maioria no Parlamento e sofreu uma derrota jurídica quando um tribunal de apelação da Escócia considerou ilegal sua decisão de suspender o Parlamento por cinco semanas. Agora, o caso será avaliado nesta semana pela Suprema Corte britânica.

"Comparação infantil"

Sua comparação com Hulk provocou escárnio de Guy Verhofstadt, coordenador do Brexit do Parlamento Europeu. "Mesmo para os padrões trumpianos, a comparação com Hulk é infantil. A UE deveria estar assustada com isso? O público britânico está impressionado?", ele tuitou.

No entanto, o secretário do Brexit, Steve Barclay, disse à rede Sky News: "O Hulk foi um vencedor e foi extremamente popular".

Os comentários do líder conservador foram divulgados na véspera de Johnson se reunir em Luxemburgo com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o negociador da EU, Michel Barnier.

Juncker, que minimizou as esperanças de um avanço no encontro desta segunda-feira, também expressou alarme pelo fato de muitas pessoas no Reino Unido parecerem ver um Brexit sem acordo como algo positivo. "Seria um caos terrível", disse ele, em entrevista à rádio Deutschlandfunk da Alemanha. "E precisaríamos de anos para colocar as coisas de volta em ordem. Quem ama seu país, e eu presumo que ainda existem patriotas no Reino Unido, não gostaria de desejar a seu país tal destino."

"Ambição política"

O ex-primeiro-ministro David Cameron, que liderou a campanha fracassada pela permanência na UE em 2016, acusou Johnson de apenas perseguir o Brexit por ambição política. "A conclusão que me resta é que ele arriscou um resultado em que não acreditava porque ajudaria sua carreira política", afirmou Cameron, num trecho de seu novo livro de memórias publicado neste domingo pelo jornal Sunday Times.

O ex-premiê disse que Johnson apenas apoiou o Brexit porque ele acreditava que isso o tornaria o "queridinho" do Partido Conservador.

Os próprios colegas de partido de Johnson continuam se rebelando. Na noite deste sábado, o segundo conservador desertou para o pró-europeu Partido Liberal Democrata. Sam Gyimah, que chegou a concorrer com Johnson pela liderança do partido, o condenou o premiê por "se voltar para o populismo".

Gyimah foi um dos 21 rebeldes expulsos por Johnson do Partido Conservador depois que eles votaram contra o governo, aprovando uma moção da oposição que visa impedir um Brexit sem acordo.

MD/afp/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Mais Notícias