PUBLICIDADE
Topo

+ Coronavírus: As principais notícias sobre a pandemia +

04/04/2020 05h39

+ Coronavírus: As principais notícias sobre a pandemia + - Mundo tem 1,1 milhão de casos confirmados e 59 mil mortes. Câmara Federal aprova PEC que cria "orçamento de guerra". Brasil registra 9.056 casos e 359 mortes, segundo Ministério da SaúdeResumo deste sábado (04/04):


Mundo tem 1,1 milhão de casos confirmados, quase 59 mil mortes e 226 mil pacientes recuperados
Brasil registra 9.056 casos e 359 mortes, segundo Ministério da Saúde
Mortes na Alemanha passam de 1.200
EUA têm mais de 7 mil mortos e 278 mil casos


Pressione Ctrl + F5 para ver as últimas atualizações deste sábado (04/04) - horário de Brasília:



05:31 - Flórida entra em confinamento obrigatório

O número de casos confirmados de covid-19 na Flórida, nos Estados Unidos, aumentou para 10.268, com 170 mortes até agora, de acordo com os últimos números do departamento de saúde estadual, onde o confinamento obrigatório entrou em vigor em todo o território a partir de setxa-feira.

Os números divulgados na sexta-feira mostram que todos os indicadores de avanço da doença continuam crescendo. A quinta-feira terminou com 9.008 casos confirmados, 1.260 a menos que no relatório divulgado hoje. Nessas 24 horas, o número de mortos subiu de 144 para 170, e as internações por Covid-19 de 1.167 para 1.334, de acordo com o Departamento de Saúde.

O condado de Miami-Dade, com 3.364 casos, e o condado de Broward, com 1.598, localizados no sudeste do estado, são os mais afetados pela pandemia.

O prefeito de Miami, Francis Suarez, que teve covid-19 e se recuperoz, pediu nas últimas horas ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para suspender todos os voos internacionais e domésticos para a cidade provenientes de locais mais afetados pelo Sars-CoV-2, a fim de impedir a disseminação do vírus.

05:00 - Argentina chega a 1.353 casos de coronavírus, com 42 mortes

A Argentina confirmou 88 novos casos de coronavírus nesta sexta-feira, elevando o número total de infecções para 1.353, além de cinco novas mortes por covid-19, aumentando a quantidade de vítimas para 42.

O relatório diário emitido pelo Ministério da Saúde argentino informa que quatro homens morreram nas últimas 24 horas. Dois deles residiam na província de Buenos Aires, com 87 e 72 anos; um, de 60 anos, em Chaco; e outro, de nacionalidade espanhola e 76 anos, em Mendoza. A outra vítima é uma mulher de 53 anos, também da província de Buenos Aires.

Dos 1.353 casos positivos de coronavírus detectados desde 3 de março, 656 são "importados", 444 são contatos estreitos de casos confirmados anteriormente, 113 são de circulação comunitária e 140 estão sob investigação epidemiológica.

Desde o último dia 20, a Argentina tem uma política de isolamento obrigatório para quase toda a população, que foi decretada pelo governo e será mantida pelo menos até o final da Páscoa, no próximo dia 12.

Nesta sexta-feira, as ruas do país estavam cheias, principalmente de idosos, devido à abertura dos bancos, que estavam fechados desde o início do isolamento, para pagar aposentadorias e benefícios sociais.

Tendo em conta o grande afluxo, que provocou filas quilométricas em que o distanciamento social recomendado para evitar o contágio não foi respeitado, o governo decidiu que as sucursais permaneceriam abertas durante o fim de semana.

02:00 - Câmara aprova PEC que cria "orçamento de guerra"

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de sexta-feira, em segundo turno por 423 votos favoráveis e um contrário, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 10/20, a chamada “PEC do Orçamento de Guerra”. A medida cria um regime extraordinário fiscal, financeiro e de contratações para o enfrentamento pandemia do novo coronavírus no país. O texto segue para o Senado, onde também terá que ser votado e aprovado em dois turnos.

Na prática, a PEC cria um instrumento para impedir que os gastos emergenciais gerados em virtude do estado de calamidade pública sejam misturados ao Orçamento da União. A medida flexibiliza travas fiscais e orçamentárias para dar mais agilidade à execução de despesas com pessoal, obras, serviços e compras do Poder Executivo e vai vigorar até o dia 31 de dezembro deste ano – mesmo prazo para o estado de calamidade pública causado pela pandemia.

A sessão na Câmara, em segundo turno, foi conduzida presencialmente pelo presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), e teve a maioria dos deputados participando via internet. O primeiro turno, que também foi aprovado nesta sexta-feira, ocorreu também em uma sessão virtual, com a participação de poucos parlamentares em plenário. O placar do primeiro turno foi 505 votos a favor e 2 contra o texto.

(ab)

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
| App | Instagram | Newsletter

Notícias