PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Ministro da Economia da Alemanha pede mais punições para quem desrespeitar distanciamento

Milhares de pessoas saíram às ruas em Berlim neste sábado (1°) para protestar contra as regras de isolamento social - John Macdougall/AFP
Milhares de pessoas saíram às ruas em Berlim neste sábado (1°) para protestar contra as regras de isolamento social Imagem: John Macdougall/AFP

02/08/2020 13h45

Na esteira do recente aumento de casos de covid-19 na Alemanha, o ministro da Economia Peter Altmaier disse neste sábado (1º) que o país precisa impor sanções mais duras para quem desrespeitar as regras de distanciamento social.

"Quem deliberadamente coloca em perigo outras pessoas deve esperar que isso acarrete sérias consequências", afirmou Altmaier, em entrevista à agência de notícias dpa. "Não devemos prejudicar a recuperação que está apenas começando aceitando um aumento adicional de infecções ", disse Altmaier.

As declarações foram feitas no mesmo dia em que cerca de 20 mil pessoas, entre neonazistas, militantes antivacinas, antissemitas, negacionistas, adeptos de tratamentos alternativos e propagadores de teorias conspiratórias participaram em Berlim de um protesto contra medidas de isolamento social. Quase todos os participantes não usaram máscaras.

O número de infecções registradas diariamente tem aumentado recentemente. Lothar Wieler, presidente do Instituto Robert Koch e uma das principais autoridades alemãs para controle de doenças, descreveu nesta semana o cenário como "muito preocupante".

Wieler apontou que o crescimento tem ocorrido porque parte da população vem negligenciando regras de higiene e de distanciamento social.

No sábado, a agência de controle de doenças do governo registrou 955 infecções em 24 horas. Na sexta-feira, foram 870. No último mês, o país registrou 13 mil novos casos.

O número de reprodução R observado de perto nos últimos sete dias foi de 1,19. Se o número é superior a 1, cada paciente transmite a doença a pelo menos mais uma pessoa, e o vírus se dissemina. Se é menor do que 1, cada vez menos indivíduos se infectam e o número dos contágios retrocede.

Segundo o ministro Altmaier, a maioria da população continua a agir com responsabilidade, mas que um número menor vem agindo de maneira irresponsável.

"O que estamos vivenciando atualmente em termos de aumento de risco é essencialmente devido ao descuido e por vezes uma má conduta irresponsável de um número muito pequeno de pessoas", afirmou Altmaier.

"Temos que evitar isso de maneira mais eficaz do que antes e agir efetivamente nos casos de infecções e novos surtos, incluindo multas e até penas se for uma questão de dolo ou negligência grosseira."

Os 16 estados da Alemanha têm ampla autoridade local na elaboração de medidas de isolamento, incluindo a possibilidade de estabelecer multas para quem desrespeitar as restrições. Regras sobre distanciamento mínimo e uso de máscaras variam de acordo com o estado, mas em geral todo o país impôs a obrigatoriedade de uso de coberturas faciais no transporte público e no interior de lojas. Medidas mais severas como confinamento só chegaram a ser impostas por um curto período em três estados durante o pico da pandemia, em março.

"Eu defendo fortemente que os passageiros só devam embarcar ônibus e trens se se usarem uma máscara protetora ou que elas comprem ao embarcar se esquecerem a sua", disse Altmaier.

"Quem viaja em ônibus ou trem sem máscara não está se colocando em risco, mas sim os outros. Se uma festa em um bar localizado num porão apertado se torna um evento de superpropagação, com violações de distanciamento e regulamentos de higiene, isso não é insignificante e deve ser punido se necessário."

Na Alemanha, 9.148 pessoas morreram de covid-19 desde o início da pandemia, um número proporcionalmente baixo em comparação com outras nações europeias duramente atingidas pela pandemia, considerando o tamanho da população alemã.

O número de infecções identificadas chegou a 209.653 neste domingo, de acordo com o Instituto Robert Koch.

Coronavírus