PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

O Brasil na imprensa alemã (25/05)

25/05/2022 14h28

O Brasil na imprensa alemã (25/05) - Desmatamento da Amazônia para cultivo de soja, incerteza sobre participação de Bolsonaro na Cúpula das Américas e transferência de fábrica da Alemanha para o Brasil foram destaques nos jornais alemães.Die Zeit: Transformar a floresta em ração (19/05)

Os restos da floresta estão alinhados no chão. Troncos enormes, alguns de centenas de anos, carbonizados sobre a terra marrom clara. Não há mais mato ou grama. Pois essa parte de floresta vai se tornar uma plantação de soja. São 475 hectares – ou quatro vezes o tamanho da cidade velha de Hamburgo.

Josenildo dos Santos Munduruku está na beira do campo..."Quem compra soja da Amazônia ou animais que a come destrói nossa vida aqui", diz ele.

[…]

Nenhum país da União Europeia produz tanta carne como a Alemanha, nenhum país do mundo cultiva tanta soja como o Brasil. Para a carne é preciso da soja, para alimentar galinhas, porcos e gado – e para o cultivo da soja, a floresta é desmatada no Brasil.

Há tempos se sabe o quão perigoso isso é: cientistas alertam há anos que a Amazônia é um dos estabilizadores mais importantes para o clima mundial. Se a floresta morre, ela libera mais gases do efeito estufa do que absorve. Assim, o clima pode mudar tanto a ponto de destruir o modo de vida de milhões de pessoas.

[…]

Há dois anos, uma equipe de pesquisadores descobriu que ao menos um quinto da soja brasileira que acaba na Europa foi cultivada ilegalmente em áreas desmatadas – chegando por meio de cadeias de fornecimento dos maiores comerciantes de grãos do mundo, que operam silos e portos.

[…]

Jair Bolsonaro se tornou o oponente mais poderoso daqueles que querem proteger a floresta. Desde que assumiu o poder em 2019, o ritmo do desmatamento voltou a aumentar significativamente.

Bolsonaro age especialmente sem escrúpulos contra as comunidades indígenas. Ele os acusa de reivindicar muito território, ele negou alguns assassinatos de indígenas. A maior organização indígena do Brasil o acusa de ser responsável pela morte de milhares e o está processando por genocídio no Tribunal Internacional de Justiça em Haia.

[…]

Die Welt: Como a América Latina quer obrigar os Estados Unidos a iniciar uma nova era (23/05)

Há algumas semanas a ditadura unipartidária de Cuba tem um novo patrocinador principal. O presidente populista de esquerda do México Andrés Manuel López Obrador quer que a resistência comunista cubana contra o "império americano" seja classificada como patrimônio histórico-cultural.

[…]

Mas López Obrador vai além. Ele lidera um movimento de governos latino-americanos que querem obrigar os EUA a convidar para a Cúpula das Américas em junho, em Los Angeles, as três ditaduras de esquerda de Cuba, Venezuela e Nicarágua.

Os anfitriões deste encontro são neste ano o governo do presidente Joe Biden e da vice Kamala Harris. A dupla está diante de uma decisão histórica: ceder à pressão do governo de esquerda democrático de López Obrador e deixar a impressão de ser chantageado pouco meses antes das eleições legislativas nos EUA. Ou insistir na posição até agora comunicada de convidar apenas governos democráticos e assim arriscar um fracasso.

[…]

Um caso especial é o Brasil. A relação entre Washington e o presidente populista de direita e apoiador de Trump Jair Bolsonaro é tensa também devido ao controverso desmatamento da Amazônia. Recentemente, o ex-senador Christopher Dodd viajou ao Brasil como enviado especial para a Cúpula das Américas a fim de persuadir Bolsonaro a participar do encontro. Isso também não é certo, Bolsonaro flerta com uma recusa. No meio da campanha eleitoral, no entanto, ele dificilmente deixaria passar a possibilidade de posar ao lado de poderosos do continente, pois essas imagens mostrariam que ele não está isolado internacionalmente – como seus críticos afirmam.

[…]

Para evitar a ruína da cúpula, Washington iniciou agora uma ofensiva de charme. Em poucos dias, os EUA flexibilizaram nesta semana as sanções contra Cuba e Venezuela. […]

Frankfurter Allgemeine Zeitung: Corte claro na região do aço (20/05)

Eles não quiserem esperar até a reunião dos funcionários na sexta. Por isso, segundo o sindicato, mais de mil empregados da fábrica em Düsseldorf da empresa siderúrgica francesa Vallourec se reuniram na tarde de quinta-feira para apoiar o protesto do conselho dos funcionários. Na noite anterior, os temores das últimas semanas foram confirmados para os funcionários. A empresa francesa fechará suas instalações na Alemanha e transferirá os negócios de tubulação para campos de petróleo e gás para o Brasil.

Enquanto por lá os negócios serão expandidos e haverá investimento, 2.400 empregos serão perdidos em Düsseldorf e Mülheim an der Ruhr. As instalações serão fechadas até 2023. […]

Em seu anúncio na quarta de noite, o grupo francês deixou claro o quanto os negócios na Alemanha eram um fardo. A empresa alemã vem sofrendo "perdas significantes" há sete anos. […]

"Economicamente, isto é inviável", afirmou o chefe da Vallourec na Alemanha, Hebert Schaff. […] No Brasil, os custos são significativamente mais baixos, diante da escassez geral de pedidos é lógico que os negócios sejam transferidos para lá, afirmou Schaaff.

[…]

A decisão da Vallourec foi classificada como "uma grande decepção" pelo líder da bancada do SPD [Partido Social Democrata] na Assembleia da Renânia do Norte-Vestfália, Thomas Kutschaty.

cn (ots)