UOL Notícias Notícias
 

16/03/2006 - 12h12

Caixão com corpo de Milosevic fica exposto em museu de Belgrado

Belgrado, 16 mar (EFE).- Ficou exposto hoje, em um museu de Belgrado, o caixão com o corpo do ex-presidente sérvio e iugoslavo Slobodan Milosevic, para que os cidadãos possam prestar-lhe homenagem nos próximos dias, como parte do funeral que acontecerá sem honras de Estado.

O caixão foi colocado no Museu da Revolução, próximo à casa no elitista bairro de Dedinje onde Milosevic foi detido na madrugada de 1º de abril de 2001, três meses antes de ser extraditado ao Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia (TPII).

Coberto com a bandeira da Sérvia e uma coroa de rosas vermelhas, o caixão está em uma ampla sala de exposições, diante de uma grande foto de Milosevic e um cartaz com seu nome e as datas de nascimento e morte.

As principais autoridades do Partido Socialista da Sérvia (SPS), que foi fundado e liderado por Milosevic, estão velando o corpo.

Várias horas antes, já havia uma fila em frente ao museu com centenas de simpatizantes que esperavam pacientes, carregando flores, velas e fotos do ex-presidente nas mãos.

"Vim ver nosso herói", destacou Persa, uma dona de casa de 63 anos. Jagoda, uma aposentada, afirmou que Milosevic era "a maior personalidade da história mundial" e manifestou sua irritação com a presença dos veículos de comunicação estrangeiros.

Em outra parte da cidade, Stevan, de 38 anos, disse à EFE que não tem intenção de prestar homenagem ao ex-presidente e que não vê a hora de "terminar todo esse circo".

"Não entendo essas velhas que choram por Milosevic, quando ele tirou de todos nós 15 anos de vida", acrescentou.

Já a diretora do complexo ao qual pertence o museu, Ljiljana Cetinic, protestou porque a direção permitiu que a sala de exposições fosse usada para o velório.

Cetinic afirmou que, com isso, "fica prejudicada a autonomia desta instituição cultural e da cultura em geral e se colocam em função da política", ao tempo que exigiu uma reação da opinião pública e do Governo.

Milosevic morreu no sábado em sua cela da prisão do TPII, em Haia, que o julgava desde fevereiro de 2002 por sua responsabilidade nos crimes de guerra cometidos na Bósnia, Croácia e Kosovo.

O caixão com o corpo de Milosevic foi levado para Belgrado na tarde de quarta-feira em um vôo regular da companhia aérea sérvia JAT e, até a transferência para o museu, permaneceu em um necrotério privado no centro da capital.

O corpo de Milosevic ficará exposto no museu até sábado, quando será realizada a cerimônia de despedida diante da sede do Parlamento da Sérvia e Montenegro.

Milosevic - que foi presidente da Sérvia e depois da Iugoslávia (atual Sérvia e Montenegro) entre 1987 e 2000 - será enterrado na tarde de sábado nos jardins de sua casa, em sua cidade natal de Pozarevac, cerca de 70 quilômetros a sudeste de Belgrado.

O Partido Socialista pediu aos cidadãos que, nesse dia, fiquem de luto. Seus líderes esperam que o ex-presidente receba uma grande "despedida popular".

Os socialistas, que inicialmente exigiram que seu líder fosse enterrado com honras de Estado, o que foi recusado pelo Governo, agora garantem que o desejo do próprio Milosevic era ser sepultado em sua cidade natal.

O vice-presidente do SPS, Milorad Vucelic, anunciou que a viúva do ex-presidente, Mira Markovic, chegará a Belgrado amanhã. Ela deixou a Sérvia em 2003 e estava morando na Rússia.

Também devem participar do funeral sua filha Marija, que vive em Montenegro, e seu filho Marko, que fugiu do país horas depois de seu pai perder o poder, em outubro de 2000.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h49

    1,49
    3,306
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h57

    -2,24
    61.235,59
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host