UOL Notícias Notícias
 

24/03/2006 - 04h40

Premiê indiano propõe nova iniciativa de paz ao Paquistão

Nova Délhi, 24 mar (EFE).- O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, defendeu hoje um "Tratado de Paz, Segurança e Amizade" com o Paquistão como etapa final do processo de paz em andamento entre os dois países, que se enfrentam desde que foram criados, em 1947.

Em um discurso pronunciado na cidade indiana de Amritsar (norte), antes da viagem inaugural de um novo ônibus de passageiros que unirá o território indiano ao paquistanês, Singh expressou sua esperança de conseguir avanços "significativos" no processo de paz.

Esse processo deve culminar na assinatura por parte dos dois países de "um Tratado de Paz, Segurança e Amizade que dê significado e substância à nossa busca por objetivos compartilhados", apontou o primeiro-ministro da Índia.

Singh se mostrou "convencido de que poderemos avançar se todos formos capazes de aceitar a pura realidade", e considerou que seria um erro relacionar a solução do conflito na região da Caxemira com outros casos envolvidos em polêmicas bilaterais.

"Não temos medo de debater a situação na Caxemira ou de encontrar uma solução pragmática e prática que também resolva este tema", disse, considerando, no entanto, que "seria um erro vincular a normalização das outras relações com uma solução para a Caxemira".

A região da Caxemira, território de maioria muçulmana, está dividida entre a Índia e o Paquistão desde a independência dos dois países do Reino Unido e a divisão do território em duas partes em 1947, e segue sendo o maior impedimento para a paz definitiva.

"Estou convencido de que poderemos avançar se todos os envolvidos estiverem dispostos a aceitar a pura realidade, se todos tivermos uma visão da história e de nosso destino", afirmou Manmohan Singh.

O premiê indiano indicou, além disso, que chegou o momento "de deixar para trás a animosidade e os receios do passado". "Passo a passo, poderemos reduzir as diferenças", assegurou Singh, que destacou que tanto ele como o presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, acreditam que a paz é a única solução na zona.

Singh reconheceu que Musharraf adotou medidas "corajosas" para acabar com o extremismo em seu país, mas insistiu que "é preciso fazer mais no âmbito das relações entre Índia e Paquistão".

Os dois países, rivais tradicionais e possuidores da bomba atômica, travaram três guerras entre si desde a criação de ambos os territórios em 1947, duas delas pela Caxemira.

Desde janeiro de 2004, no entanto, começaram um processo de paz destinado a resolver todos os assuntos divergentes.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host