UOL Notícias Notícias
 

28/03/2006 - 18h22

Líder piqueteiro é julgado na Argentina por invadir extorsão

Buenos Aires, 28 mar (EFE).- Começou hoje o julgamento de Raúl Castells, um dos líderes dos piqueteiros argentinos, ele é acusado de extorsão durante a invasão de um cassino no norte do país em 2004.

No primeiro dia de julgamento, no qual também estão envolvidos outros nove piqueteiros, Castells disse que o dinheiro que recebeu do Cassino Gala, da cidade de Resistencia (província do Chaco), foi "uma doação" e não fruto de uma "extorsão".

O líder do Movimento Independente de Aposentados e Desempregados chamou o julgamento de "falsidade absoluta" porque tentam incluir um pedido por alimento "em uma figura penal" quando "nunca existiu a intenção de crime".

Castells liderou no dia 16 de julho de 2004 um protesto em um cassino de Resistencia (1.025 quilômetros ao norte de Buenos Aires), onde pediu aos proprietários uma "colaboração" de 10.000 pesos (US$ 3.236 dólares) para encerrar a manifestação na casa jogos, ato qualificado de "extorsão".

Por causa do episódio, o líder piqueteiro foi preso no dia 23 de agosto de 2004 e, após 40 dias de greve de fome, recuperou em outubro a liberdade sob a condição de "não realizar atos ilegais", como o bloqueio de vias públicas.

No dia 22 de fevereiro de 2005, Castells voltou a ser preso por violar a liberdade condicional, após participar de um protesto de plantadores de algodão no Chaco, mas após dois dias foi libertado.

Castells disse em várias oportunidades que se sente como um "perseguido político" do presidente da Argentina, Néstor Kirchner.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host