UOL Notícias Notícias
 

07/04/2006 - 22h36

Combate ao terrorismo deve respeitar direitos humanos

Panamá, 7 abr (EFE).- Um vice-presidente, ministros e promotores de oito países latino-americanos chamaram hoje a comunidade internacional a intensificar a cooperação contra o terrorismo, mas destacaram que esta luta deve respeitar os direitos humanos.

Também pediram que países doadores, Nações Unidas, Organização dos Estados Americanos (OEA), Banco Mundial (BM) e Fundo Monetário Internacional (FMI) aumentem a ajuda técnica e financeira para combater o terrorismo, o crime organizado e a lavagem de dinheiro.

Na declaração final de uma conferência ministerial realizada no Panamá, pediram a "continuar colaborando" com o Comitê contra o Terrorismo do Conselho de Segurança da ONU na aplicação de resoluções emitidas em 1999, 2001, 2004 e 2005 para combater grupos como Al Qaeda e prevenir a proliferação de armas de destruição em massa.

A nota falou ainda da "importância do devido processo e o respeito aos direitos humanos nos procedimentos penais relativos ao terrorismo e ao crime organizado transnacional".

O documento pediu aos países que ainda não o fizeram que ratifiquem os instrumentos internacionais contra o terrorismo e a Convenção das Nações Unidas contra o crime Organizado Transnacional.

A conferência foi organizada pela Subdivisão de Prevenção do Terrorismo do Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Delito, o Comitê Interamericano contra o Terrorismo da OEA e o Governo panamenho.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host