UOL Notícias Notícias
 

26/04/2006 - 13h39

Kadima assina primeiro acordo de coalizão para formar Governo

Jerusalém, 26 abr (EFE).- O partido Kadima, presidido pelo primeiro-ministro israelense Ehud Omert, assinou seu primeiro acordo de coalizão hoje, com vistas à formação do novo Governo de Israel.

O primeiro a assinar o acordo de coalizão foi o Partido dos Aposentados, que terá duas pastas no próximo Executivo, uma delas para o líder da formação, Rafi Eitan.

Em troca, o partido revelação das eleições de 28 de março - nas quais obteve sete deputados - aceitou se unir ao grupo parlamentar do Kadima e formar uma única força política dentro do Parlamento, que terá a mesma disciplina parlamentar.

"Olmert pode dizer agora que tem 36 deputados", disse uma fonte do Partido dos Aposentados, citado pela edição eletrônica do jornal "Ha'aretz".

O bloco únivo formado pelos dois partidos representa um respiro para Olmert, que assim será fortalecido não só no Parlamento, mas também na mesa de Governo, onde terá o apoio quase automático dos dois ministros do Partido dos Aposentados.

As duas pastas obtidas pelos aposentados são as de Saúde e uma nova - feita sob medida dessa formação -, que será responsável pela população mais idosa de Israel.

O Partido dos Aposentados terá também a chefia da Comissão Parlamentar de Assuntos Sociais e Saúde.

O acordo político, o primeiro fechado por Olmert, custou aos cofres do Estado 130 milhões de shekels (cerca de US$ 29 milhões), quantia que o futuro Governo deverá incluir em suas verbas orçamentárias do ano em curso para as caixas de pensões de seus funcionários.

Olmert também está prestes a fechar um acordo com o Partido Trabalhista, ao qual prometeu sete ministérios, entre eles o de Defesa.

O primeiro-ministro israelense tinha se comprometido a assinar o primeiro acordo com os trabalhistas, mas problemas de última hora adiaram o acordo, e Olmert não quis esperar.

Na semana que vem, termina o primeiro prazo que Olmert tem para formar Governo. Se até então não conseguir seu objetivo, o primeiro-ministro poderá pedir uma prorrogação de mais duas semanas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host