UOL Notícias Notícias
 

08/05/2006 - 20h58

EUA apresentam projeto para agilizar missão da ONU em Darfur

Nações Unidas, 8 mai (EFE).- Os EUA apresentaram hoje um projeto de resolução no Conselho de Segurança, com o objetivo de agilizar a transferência da missão da União Africana (UA) para uma operação de paz sob a bandeira da ONU.

Os 15 membros do Conselho de Segurança receberam o documento depois do anúncio do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que disse que pedirá ao Congresso uma verba extraordinária de US$ 225 milhões para ajuda humanitária na região sudanesa de Darfur.

Após a recente assinatura do acordo de Abuja, na Nigéria, entre o Governo do Sudão e a principal facção rebelde, o Movimento de Libertação do Sudão (MLS), Bush pediu rapidez no processo de implementação de uma força de paz da ONU, com real capacidade de ação, na região ocidental do Sudão.

O projeto de resolução pedirá que o país retire as restrições impostas aos funcionários do Departamento de Operações de Manutenção da Paz da ONU, assim como os da Otan e da União Africana (UA).

O embaixador dos EUA na ONU, John Bolton, disse que seu país quer que a mobilização da missão aconteça "o mais rápido possível". No entanto, ressaltou que é preciso que uma equipe viaje a Darfur para avaliar as condições e as necessidades para dar início a uma operação de paz.

O Conselho de Segurança realiza amanhã uma reunião ministerial com a participação da secretária de Estado americana, Condoleeza Rice, e os ministros de Exteriores dos membros do órgão máximo da ONU.

A reunião tem como finalidade obter apoio dos países para reforçar e financiar a missão da UA em Darfur (Amis) antes do início de uma missão sob a bandeira da ONU, processo que não deverá acontecer pelo menos até o final do ano.

Também será discutido o projeto de resolução apresentado pelos EUA, e o Reino Unido deve apresentar uma declaração presidencial que poderia ser adotada ao final do debate.

Atualmente, estão em Darfur 7.200 soldados da Amis, que controlam a segurança, com efetivos e recursos que não são suficientes.

Em março, a UA aprovou a permanência de suas tropas até 30 de setembro, até que a ONU assuma o controle das operações de paz.

O acordo de Abuja assinado por Cartum e o principal grupo rebelde abre o caminho para pôr fim ao conflito que assola a região sudanesa de Darfur há três anos, e que deixou entre 180 e 300 mil mortos, além de 2,4 milhões de refugiados.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host