UOL Notícias Notícias
 

09/05/2006 - 10h10

Abbas: forças de segurança devem empregar a força contra rebeldes

Ramala, 9 mai (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, instruiu hoje os organismos de segurança a intervir, inclusive usando a força, "para reprimir todos aqueles que tentem escalar a situação" de violência na Faixa de Gaza.

"Dei instruções às forças de segurança para que interfiram e empreguem a força para impedir que qualquer pessoa possa criar problemas e produzir uma situação inaceitável", afirmou Abbas em entrevista coletiva realizada hoje na cidade cisjordaniana de Ramala.

A Faixa de Gaza foi palco, ontem e hoje, de duros choques entre militantes dos movimentos Hamas e Fatah, que terminaram com três ativistas mortos e dezenas de feridos, entre eles estudantes que se dirigiam ao colégio.

O presidente da ANP expressou seu pesar pelo que descreveu como "caos crescente" e acrescentou: "Não temos intenções de lutar uns contra os outros, nosso objetivo é solucionar nossos problemas e sair da crise".

Abbas destacou que a batalha dos governantes tem que ser a de salvar os residentes palestinos da situação de caos e anarquia interna e "pôr fim aos sofrimentos causados pelos bloqueios e sanções impostos (por Israel) ao povo palestino".

A situação de caos e confrontos crescentes pelo poder nos territórios palestinos coincide com a crise financeira que resultou na falta de pagamento dos salários por parte do Governo do Hamas aos mais de 160 mil funcionários públicos.

O Executivo palestino está impossibilitado de efetuar tais pagamentos devido ao boicote político e econômico da comunidade internacional e dos principais países doadores, entre eles Estados Unidos e União Européia.

Os membros do Quarteto para Oriente Médio (EUA, UE, ONU e Rússia) analisam hoje em Nova York maneiras de impedir que haja uma crise humanitária nos territórios palestinos, sem, no entanto, ceder em relação às exigências feitas ao Governo do Hamas.

As exigências do Quarteto ao gabinete palestino são: o reconhecimento de Israel, a renúncia à violência e a aceitação dos acordos firmados no passado entre israelenses e palestinos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host