UOL Notícias Notícias
 

15/05/2006 - 16h29

México: Mal-entendido com a Bolívia foi superado em Viena

México, 15 mai (EFE).- A Chancelaria mexicana considerou hoje que os mal-entendidos entre o presidente Vicente Fox e seu homólogo boliviano, Evo Morales, foram plenamente superados na reunião que ambos mantiveram na semana passada em Viena (Áustria).

O titular da Secretaria de Relações Exteriores (SRE) mexicana, Luis Ernesto Derbez, afirmou que "muitos mal-entendidos" que poderiam ter ocorrido no passado foram superados.

Em entrevista à rádio "Enfoque", o chanceler disse que Fox e Morales, que se reuniram durante a IV Cúpula de chefes de Estado e de Governo de países da América Latina, do Caribe e da União Européia, conversaram sobre temas energéticos e de desenvolvimento indígena.

Derbez disse que "técnicos mexicanos viajarão em breve à Bolívia para conversar" sobre um programa e a possibilidade de que o México participe de planos de desenvolvimento energético relacionados ao gás boliviano.

O titular da SRE considerou que se deve articular "a maneira como o México poderia ter acesso ao gás, respeitando as leis e as condições que a Bolívia impuser", após a nacionalização dos hidrocarbonetos, já que os interesses de ambos os países são convergentes neste âmbito.

Atualmente, o México está construindo três centrais de gás no Pacífico mexicano, uma na América Central e colaborando para construir uma refinaria, uma grande usina hidroelétrica e um gasoduto de Puebla até o Panamá.

Sobre o apoio às comunidades indígenas bolivianas, Derbez disse que é um tema histórico que continua pendente e no qual o presidente do México assegurou que havia espaços de cooperação.

"Fox indicou a Morales que entendia claramente sua preocupação, a forma como ele estava tentando ajudar a resolver este tema de injustiça social de séculos", acrescentou.

Derbez disse que o governante mexicano ofereceu enviar à Bolívia a titular da Comissão para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas, Xóchitl Gálvez, "se assim desejar Morales, para que lhe conte suas experiências" e lucros.

Derbez disse que se pode adaptar à realidade da Bolívia alguns dos programas que foram bem-sucedidos no México.

"Há muita convergência de pontos de vista de nosso Governo e do de Morales no tema sobre como resolver e ajudar nesta situação de injustiça de séculos com os indígenas", sustentou o chanceler.

Em janeiro passado, uma certa tensão entre Morales e Fox dificultou a relação bilateral. Fox não foi à posse de Morales depois que o governante boliviano declarou em Paris que não tinha sido capaz de entender-se devidamente com Fox.

Morales expressou então sua admiração pelo "subcomandante Marcos", chefe rebelde do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) e chegou a convidá-lo a sua posse, algo que não caiu bem no Executivo mexicano.

Em entrevista posterior a uma emissora de rádio do Grupo Imagem do México, Fox fez comentários considerados como um desprezo em relação à Bolívia no que se refere ao gás.

Em uma viagem pela África do Sul, Morales pediu a Fox que não tentasse humilhar nem a ele nem aos bolivianos "para defender os interesses de seu país".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host