UOL Notícias Notícias
 

27/05/2006 - 18h53

Toledo adverte Chávez a não intervir na política interna peruana

Lima, 27 mai (EFE).- O presidente do Peru, Alejandro Toledo, exigiu hoje do governante da Venezuela, Hugo Chávez, que "deixe de intervir" na política interna peruana, e o advertiu para que tenha "cuidado", para não "semear tempestades na região".

Toledo enfatizou que Chávez "não pode dizer quem deve ganhar as eleições de 4 de junho", em referência ao apoio do presidente venezuelano ao candidato nacionalista Ollanta Humala, que disputará o segundo turno peruano contra o social-democrata Alan García.

"Hugo Chávez tem que aprender que a democracia se constrói exercendo o poder democraticamente, ele não pode mudar a vontade das pessoas com seus dólares", acrescentou.

Os presidentes da Bolívia, Evo Morales, e da Venezuela, Hugo Chávez, deram apoio a Humala ao anunciar a possibilidade de que o Peru se integre na aliança entre La Paz, Caracas e Havana, caso o ex-militar vença as eleições peruanas.

Chávez manifestou reiteradas vezes seu apoio aberto ao candidato nacionalista peruano e manteve recentemente um bate-boca com Alan García, que sobrou até para o presidente Toledo.

Após esses incidentes, Peru e Venezuela retiraram seus respectivos embaixadores em Caracas e Lima.

Toledo reiterou hoje que não vai "responder aos insultos" de Chávez, embora tenha advertido que o venezuelano "não pode semear instabilidade na região".

"Soube das declarações do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e não vou responder aos insultos, mas quero que fique claro que não respondo a nenhum império, nem o dos petrodólares, nem a ninguém", afirmou.

O líder peruano disse ainda que respeita "muito o povo venezuelano", mas acrescentou que o que não pode "admitir que puxem o tapete da democracia, nem os insultos".

Segundo lembrou o presidente peruano, Chávez "foi eleito presidente do povo venezuelano, mas não é o presidente da América Latina".

Toledo acrescentou que seu colega da Venezuela deve "defender os interesses" de seu país, e enfatizou que se Chávez está "financiando um candidato", em referência a Humala, "está correndo um grande risco".

O Chefe de Estado peruano declarou, no entanto, que não tem "nenhuma evidência" desse financiamento.

Toledo também disse que "não há qualquer possibilidade de fraude" nas eleições de 4 de junho, como suspeitou Humala, e comunicou que deu ordens às forças de segurança para que evitem "qualquer tipo de alvoroço" durante as eleições.

A última pesquisa de opinião divulgada hoje em Lima mostra que o ex-presidente García tem 42,8% das intenções de voto, enquanto Humala possui 28,6%.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host