UOL Notícias Notícias
 

16/06/2006 - 16h00

Representantes sul-americanos evitam falar de crise na integração

Montevidéu, 16 jun (EFE).- Os representantes dos presidentes que formam a Comunidade Sul-Americana de Nações e que se reuniram hoje em Montevidéu evitaram falar da crise dos sistemas de integração da região, disseram à Efe fontes presentes à reunião.

Na última cúpula dos presidentes da Comunidade, realizada em Montevidéu em dezembro passado, os líderes decidiram criar uma comissão integrada por delegados pessoais designados por eles mesmos.

Hoje ocorreu a primeira sessão na qual participaram delegados de todos os presidentes, entre eles Marco Aurélio Garcia, assessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva; e a senadora argentina e esposa do presidente Néstor Kirchner, Cristina Fernández.

Durante a manhã, os delegados trataram de diversos temas, mas evitaram falar da crise da Comunidade Andina de Nações, formada por Bolívia, Colômbia, Equador e Peru e que acaba de perder a Venezuela porque seu presidente, Hugo Chávez, considera que o Peru e a Colômbia traíram o bloco ao assinar um acordo de livre comércio com os EUA.

Além disso, os representantes presidenciais não falaram sobre as tensões vividas pelo Mercosul devido à controvérsia surgida entre Argentina e Uruguai por causa da oposição de Buenos Aires à instalação de duas fábricas de celulose às margens do rio Uruguai, fronteira natural entre os dois países.

Em linhas gerais, os representantes falaram da necessidade de a democracia se reafirmar na região, e todos concordaram que existe uma grave dívida social em todos os países.

Além disso, reafirmaram seu compromisso em avançar na integração energética e de infra-estruturas, como base sobre a qual se deve construir a integração.

Os delegados têm que estabelecer uma metodologia e um cronograma de trabalho com o qual poderão avançar nos temas tratados antes da próxima cúpula presidencial em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), em uma data ainda não definida, no último trimestre do ano.

A Comunidade Sul-Americana de Nações nasceu em Cuzco (Peru) em novembro de 2004, e é formada por Brasil, Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host