UOL Notícias Notícias
 

17/06/2006 - 11h01

Ataques matam 29 e ferem 66 em Bagdá e seus arredores

Bagdá, 17 jun (EFE).- Pelo menos 29 pessoas morreram e 66 ficaram feridas hoje em vários ataques - três deles quase simultâneos - em Bagdá e seus arredores, três dias depois de o Governo do xiita Nouri al-Maliki começar a aplicar um plano de segurança para acabar com a violência na capital iraquiana.

Segundo a Polícia iraquiana, os ataques ocorreram entre as 10h (3h de Brasília) e as 13h15 (6h15 de Brasília).

No atentado das 11h30, que não ocorreu na capital, pelo menos cinco pessoas morreram e outras seis ficaram feridas na explosão de um veículo estacionado na rua principal da cidade de Mahmudiya, 30 quilômetros ao sul de Bagdá.

Quinze minutos antes, 11 pessoas, entre elas dez civis, morreram quando um motorista suicida chocou um veículo carregado de explosivos contra uma patrulha das forças de segurança na região de Al-Alawia, no centro da capital. Neste ataque, ocorrido às 11h15 (4h15 de Brasília), oito soldados, três agentes da Polícia e quatro civis também ficaram feridos.

A explosão de um carro-bomba estacionado próximo ao teatro Nacional, situado no centro de Bagdá, causou a morte de um civil e feriu outros cinco às 11h (4h de Brasília).

Antes disso, às 10h25 (3h25 de Brasília), outros seis civis perderam a vida quando uma bomba explodiu no mercado de Al-Harach, no bairro de Bab Al Sharqi, no centro da cidade. Segundo a Polícia iraquiana, pelo menos 11 pessoas ficaram feridas nesta explosão.

Em outro mercado, Al Zarabadi, que fica no bairro de Al-Kadhimiya, ao norte de Bagdá, outros dois civis perderam a vida e 14 ficaram feridos devido ao impacto de três bombas, nesta manhã, segundo fontes locais.

A explosão de uma bomba dentro de um ônibus público em Bagdá matou quatro pessoas e feriu 11, segundo fontes da Polícia. As fontes explicaram que a bomba tinha sido abandonada dentro do ônibus por um homem que saiu do veículo antes da detonação, às 13h15 (6h15 de Brasília), quando o veículo transitava pelo sul da capital.

Por outra parte, quatro policiais ficaram feridos na explosão de uma bomba à passagem da patrulha na qual viajavam, no bairro de Al-Gadir, no leste de Bagdá.

O plano de segurança do Governo, denominado "Avançando juntos para frente", tem como objetivo acabar com a insurgência e os grupos terroristas em Bagdá e seus arredores. Este seria o primeiro passo para o restabelecimento da segurança no resto do país.

Desde as primeiras horas do dia 14, mais de 40 mil efetivos da Polícia e do Exército iraquianos e das forças americanas se postaram nas principais regiões da capital, segundo a rede de televisão pública.

Além disso, postos adicionais de segurança foram instalados em vários pontos da cidade para registrar veículos e controlar o tráfego.

O plano de segurança inclui o toque de recolher em Bagdá entre as 21h e as 6h, como parte das medidas para acabar com a onda de violência diária que custou a vida a milhares de pessoas.

O plano também estipula a proibição da circulação de veículos na capital às sextas-feiras, das 11h às 13h, período do dia em que milhares de crentes se dirigem às mesquitas para orar.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host