UOL Notícias Notícias
 

19/10/2006 - 01h23

Juiz ordena detenção de representante da E-vote no Equador

Quito, 18 out (EFE).- Um juiz da província litorânea de Guaias ordenou hoje a detenção de Santiago Murray, representante no Equador da empresa brasileira E-vote, que está sendo investigada pela falha no sistema de apuração rápida de votos nas eleições de domingo passado.

Segundo a imprensa local, o juiz número 15 do Tribunal Penal de Guaias ordenou nesta quarta-feira a detenção de Murray, "por 24 horas e com caráter investigativo", atendendo a um pedido da Promotoria.

Um juiz de Quito já havia ordenado a apreensão dos bens da E-vote e proibido a saída do país de Murray, devido às denúncias de um suposto crime de informática.

A E-vote foi contratada pelo Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) para a apuração rápida dos votos, mas seu sistema caiu e a empresa não pôde completar o trabalho.

Paulo Martins, presidente da E-vote, descartou uma fraude e culpou o TSE equatoriano pelo colapso do sistema operacional para a transmissão de resultados.

Martins disse hoje em Quito que o problema foi causado pela mudança no formato de atas dos resultados da eleição. O sistema não reconheceu os dados e situou resultados nos lugares errados.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host