UOL Notícias Notícias
 

08/11/2006 - 14h38

Ministro atrasa audiência no Supremo para negociar com suicida

Jerusalém, 8 nov (EFE).- O ministro da Indústria e Comércio de Israel, o rabino Eli Yishai, provocou hoje um atraso de uma hora em uma audiência do Tribunal Supremo porque, quando estava a caminho, parou para negociar com uma mulher que pretendia suicidar-se saltando de uma ponte.

O ministro viu a mulher na ponte perto da sede do Tribunal Supremo, onde seria analisado um recurso apresentado por ele, a título pessoal, contra a realização, em Jerusalém, da Parada do Orgulho Gay, marcada para esta sexta-feira.

Sem hesitar, o rabino ligou para a presidente do Tribunal Supremo, pediu um adiamento da audiência e começou a conversar com a mulher, até convencê-la a não se matar.

O Tribunal Supremo de Israel deve decidir hoje sobre três recursos apresentados por representantes de círculos ultra-ortodoxos contra a Parada Gay.

A realização do evento suscitou uma onda de violência, pois os ultra-ortodoxos consideram que se trata de uma "abominação" e que "contaminará" a Cidade Santa.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h49

    -0,73
    3,259
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h59

    1,38
    64.102,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host