UOL Notícias Notícias
 

13/11/2006 - 18h02

Lula adverte Chávez de que povo exigirá mais em segundo mandato

Ciudad Guayana (Venezuela), 13 nov (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva advertiu hoje a Hugo Chávez que o povo costuma ser mais exigente com os governantes reeleitos.

Cerca de 16 milhões de venezuelanos irão às urnas no próximo dia 3 de dezembro, para escolher o presidente que governará o país entre 2007 e 2013.

Chávez concorre à reeleição, contra diversos candidatos da oposição, dentre os quais se destaca Manuel Rosales.

"Quanto mais democracia tem um povo, mais exigente ele é. Este povo que te quer tanto será muito mais exigente no segundo mandato", disse Lula a Chávez.

As declarações foram feitas no ato de inauguração da Puente Orinoquia, nos arredores de Ciudad Guayana, 720 quilômetros ao sudeste de Caracas.

Lula fez um paralelo entre a situação do Brasil e a da Venezuela, e assinalou que, em ambos os casos, os governantes que os precederam no poder governaram somente para a minoria poderosa, excluindo os mais pobres.

"Eles governaram somente para 30% ou 35% da população. Para nós, o pobre não é um dado estatístico: é um ser humano, que tem direito a trabalhar, estudar e ter uma casa", afirmou Lula.

Ele falou sobre o "renascer" dos povos da América Latina, que pedem mais justiça social ao escolher seus governantes.

"Por isso elegeram Néstor Kirchner na Argentina, Daniel Ortega na Nicarágua, Evo Morales na Bolívia, Tabaré Vázquez no Uruguai e Michelle Bachelet no Chile", afirmou.

O presidente brasileiro também falou sobre o tipo de oposição enfrentada por Chávez.

"Conheço um pouco a história deste país, a trajetória política do presidente Chávez. Sei que, assim como no Brasil, somos vítimas de incompreensões por parte dos que governaram, e que agora não aceitam que alguém que pensa diferente e que pensa no povo esteja no Governo", afirmou.

As críticas foram estendidas aos meios de comunicação, que atuam como adversários políticos do governante venezuelano.

O presidente lembrou a visita que fez à Venezuela, há três anos, para inspecionar as obras da ponte inaugurada hoje, e disse que ficou surpreso pela forma como a imprensa "agredia" Chávez.

"Nunca tinha visto algo parecido, e jamais imaginei que no Brasil pudesse ocorrer algo deste tipo, com certos meios de comunicação agredindo dessa maneira um presidente. Mas isso ocorreu", afirmou Chávez.

Lula voltará hoje ao país, após cumprir uma apertada agenda que inclui a inauguração de algumas obras, e a certidão de reservas de gás que serão exploradas pela Petrobras.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h59

    -0,23
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h04

    -0,20
    75.823,56
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host