UOL Notícias Notícias
 

15/11/2006 - 09h20

Nova rodada sobre programa norte-coreano deve ocorrer em dezembro

Virginia Hebrero Hanói, 15 nov (EFE).- Os negociadores dos EUA, Coréia do Sul e Japão definiram hoje durante a reunião ministerial do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) que serão feitos esforços para que as conversas multilaterais sobre o programa nuclear norte-coreano sejam retomadas no início de dezembro.

A crise gerada pelo programa nuclear da Coréia do Norte foi o centro das atenções hoje no encontro de ministros do Apec, que oficialmente tem o objetivo de retomar a Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Os três negociadores, Christopher Hill, Chung Yung-woo e Kenichiro Sasae, estiveram reunidos durante duas horas em um hotel de Hanói, para "avaliar como retomar as conversas a seis lados", disse à imprensa um porta-voz japonês, depois de a Coréia do Norte ter aceitado voltar à mesa de negociação, há duas semanas.

"Após esta reunião, as três partes acordaram propor à Presidência chinesa que a próxima rodada aconteça na primeira metade de dezembro", disse o porta-voz Mitsuo Sakaba, que acrescentou que a China ficará encarregada de negociar a data com a Rússia e a Coréia do Norte.

Christopher Hill, o negociador-chefe dos EUA - um dos seis países envolvidos nas negociações -, também havia dito aos jornalistas que a próxima rodada poderia ser realizada no início de dezembro, depois de mais de um ano de estagnação.

"Pode ser que comecemos as conversas no início de dezembro", disse Hill aos jornalistas, após sua reunião de hoje com o negociador da Coréia do Sul, Chun Yung-woo, em Hanói, e antes do encontro dos dois com o interlocutor japonês, Kenichiro Sasae.

Cinco dos seis países envolvidos nas conversas sobre o programa nuclear norte-coreano - EUA, Rússia, Japão, Coréia do Sul e China - participam da cúpula da Apec.

"Os três países dividem a mesma opinião sobre três pontos importantes", disse o porta-voz japonês, reiterando que em primeiro lugar "nunca se aceitará que a Coréia do Norte seja uma potência nuclear".

Em segundo lugar, os três negociadores reafirmaram que Pyongyang "deve mostrar de forma concreta seu compromisso de desnuclearizar, e depois devem continuar as sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU ao regime norte-coreano", acrescentou.

Os EUA, o Japão e a Coréia do Sul também expressaram em sua reunião de hoje que a cúpula da Apec deve pedir com firmeza à Coréia do Norte que aplique o acordo de setembro de 2005, quando Pyongyang se comprometeu a desmantelar seu programa nuclear em troca de ajuda econômica e energética.

"Tivemos uma boa discussão sobre como estruturar a próxima rodada de conversas", afirmou Hill.

As reuniões de hoje entre EUA, Japão e Coréia do Sul são as primeiras entre os países envolvidos na crise norte-coreana e aconteceram em meio a cúpula do Apec. Espera-se que, durante este fórum, aconteçam reuniões bilaterais entre ministros e líderes destes países.

As conversas estão estagnadas há um ano devido ao boicote da Coréia do Norte, que exige que Washington suspenda as sanções financeiras impostas em setembro de 2005 a instituições bancárias relacionadas a Pyongyang.

No entanto, há duas semanas, o regime de Kim Jong-il aceitou voltar à mesa de negociações, depois de ter realizado um teste nuclear que teve repercussão mundial e aumentou os temores de uma nova corrida armamentista.

Embora o assunto da Coréia do Norte não esteja incluído na agenda oficial da reunião de Apec, é quase certo que será discutido de maneira informal pelos ministros de Exteriores dos 21 países-membros, reunidos hoje e amanhã, e pelos líderes, que farão o mesmo nos dias 18 e 19.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h09

    0,02
    3,158
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h13

    0,27
    74.646,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host