UOL Notícias Notícias
 

28/11/2006 - 17h28

Ator de Bollywood recebe nova pena pelos atentados de Mumbai

Nova Délhi, 28 nov (EFE).- O ator de "Bollywood" Sanjay Dutt, declarado culpado no processo em que era julgado por colaboração nos atentados de Mumbai de 1993, recebeu hoje uma nova condenação em relação ao massacre em que 257 pessoas morreram e 700 ficaram feridas.

Em uma nova sessão de um dos julgamentos mais longos da história da Índia, no qual outras 122 pessoas já foram condenadas, o popular ator foi considerado culpado de porte ilegal de armas, embora tenha sido absolvido da acusação de "conspiração" naqueles atentados.

Os atentados, os mais sangrentos ocorridos no país, consistiram na colocação de 13 bombas em trens das redondezas de Mumbai e foram cometidos por uma organização mafiosa, supostamente por encomenda da comunidade muçulmana indiana, para vingar o massacre de cerca de 2 mil muçulmanos em vários confrontos religiosos com a população hindu por todo o país.

Estes atentados julgados agora são semelhantes aos que a cidade sofreu em julho, quando cerca de 200 pessoas morreram.

O ator, filho de um ex-ministro de Esportes e que defendeu sua inocência, teve seu nome associado à organização mafiosa liderada por Dawood Ibrahim, que, junto com Tiger Memon é considerado o organizador dos atentados.

Os dois moram no Paquistão e são líderes de uma das poderosas máfias, em sua maioria muçulmanas, que têm base em Mumbai e atuam nessa cidade, em Dubai e em vários países com grande colônia indiana.

Ao longo do julgamento, os juízes consideraram provado que Dutt colaborou com os terroristas que puseram as bombas nos trens de Mumbai há 13 anos, dando apoio logístico, pelo que já passou 16 meses presos, há 10 anos.

Além disso, hoje os juízes o condenaram por guardar em sua casa um fuzil AK-56, que mais tarde acabou sendo destruído, além de um revólver e outras armas que Dutt assegurou possuir "para defesa própria".

Ao ter sido declarado culpado por posse ilegal de armas, o ator deverá agora esperar a sentença correspondente.

Na televisão local "NDTV", que acompanhou o caso minuto a minuto, o corpulento protagonista de vários sucessos de "Bollywood" (indústria cinematográfica indiana) assistia ao julgamento com semblante sério e com o tradicional ponto vermelho no meio da testa, o que queria dizer que acabara de visitar um templo hindu.

Sanjay Dutt já superou várias crises pessoais, como a dependência do álcool quando sua mãe morreu, dois divórcios, ou sua polêmica relação atual com uma dançarina muçulmana do Paquistão, país rival da Índia.

Sua estadia na prisão não o impediu de retomar sua carreira de ator com sucesso.

Entre as atuações mais celebradas de Dutt estão a interpretação de um heróico tenente do Exército indiano que combate na Caxemira contra invasores paquistaneses em um filme intitulado "LOC: Kargil", de quatro horas de duração, que foi a produção mais cara da História do cinema nacional no momento de sua estréia, em 2003.

Mais recentemente, Dutt protagonizou um dos sucessos da temporada no país: "Lage Raho Munnabhai", um longa-metragem que elogia o ensino da ahimsa, a "não violência" de Gandhi e que por pouco não concorreu ao Oscar de Hollywood.

Ao todo, o ator, que estreou na indústria cinematográfica com um filme ("Rocky") dirigido por seu próprio pai, participou de quase 120 filmes, sendo protagonista em 60.

À parte de vários compromissos publicitários no valor de quase 5 milhões de euros, a estrela tem pendente a estréia de seis filmes para o próximo ano, cujo orçamento supera os nove milhões de euros no total.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host