UOL Notícias Notícias
 

06/12/2006 - 09h41

Premier turco diz que país tem um plano B e um plano C para a UE

Ancara, 6 dez (EFE).- O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou hoje que a Turquia tem um plano B e um plano C para o caso de os ministros de Assuntos Exteriores da União Européia (UE) decidirem congelar parcialmente o processo de adesão do país ao bloco.

O premier, no entanto, acrescentou, em declarações no aeroporto de Ancara, antes de viajar à Síria, que não revelará tais planos até a reunião dos ministros de Exteriores europeus, prevista para meados de dezembro.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Jacques Chirac, apoiaram ontem a proposta de congelar as negociações de adesão, apresentada pela Comissão Européia (CE, órgão executivo do bloco), devido à negativa turca de reconhecer o Chipre e abrir seus portos e aeroportos ao tráfego proveniente da ilha.

Sobre o encontro de Merkel e Chirac, que também contou com a presença do presidente polonês, Lech Kaczynski, Erdogan disse que a reunião não foi uma cúpula. "Três dirigentes se reuniram. Depois dessa reunião telefonei para a chanceler alemã, Merkel, e disse a ela que não é preciso dar um passo errado." Erdogan estimou ainda que o comunicado emitido pelos dirigentes europeus não foi tão severo como se esperava.

O premier turco disse saber que o processo de adesão à UE não será muito cômodo e insistiu em que a Turquia continuará seu caminho rumo à adesão de uma maneira natural e sem reações sentimentais.

"Seguiremos nosso caminho de qualquer maneira. Não nos deteremos.

Abriremos os capítulos e faremos tudo que for necessário. O processo só se desacelerará", estimou.

Durante um pronunciamento para vários parlamentares do governante Partido da Justiça e o Desenvolvimento (AKP), Erdogan comentou ontem que tinha advertido a Merkel, durante a conversa telefônica, sobre as possíveis conseqüências de um passo errado.

O primeiro-ministro turco, que ressaltou que a democracia era objetivo permanente de seu país, indicou que havia começado um período de dez dias muito crítico para as relações com a UE.

"Da mesma forma que a UE é necessária para a Turquia, a Turquia é necessária para a UE", disse Erdogan, acrescentando que o país não é apenas europeu, mas, além disso, é "o homem jovem e enérgico da Europa".

A CE recomendou na semana passada aos países-membros da UE que suspendam as negociações de adesão com Ancara em oito dos 35 capítulos em negociação, devido ao descumprimento da Turquia com relação ao Chipre.

O Governo turco considera as advertências da CE muito duras e inaceitáveis e manifestou, em várias ocasiões, que abrirá seus portos só quando for levantado o isolamento da autoproclamada República Turca do Norte do Chipre, reconhecida apenas por Ancara.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host