UOL Notícias Notícias
 

18/01/2007 - 14h57

Clínica de Moscou está disposta a oferecer tratamento a Tareq Aziz

Moscou, 18 jan (EFE).- O instituto de cirurgia cardiovascular Bakulev de Moscou se mostrou hoje disposto a oferecer "tratamento médico" ao ex-vice-primeiro-ministro iraquiano Tareq Aziz, atualmente preso em uma base militar americana em Bagdá.

"Estamos dispostos a oferecer-lhe o necessário tratamento médico", assegurou Serguei Nikonov, chefe de imprensa da clínica, citado pela agência "Interfax".

Segundo seu advogado, Aziz pediu ao Kremlin que ofereça garantias à Justiça do Iraque para que possa obter a liberdade condicional e se submeter a um tratamento médico na prestigiosa clínica moscovita.

"Aziz está muito doente. Morrerá este ano se continuar preso", assegurou Giovanni di Stéfano em entrevista publicada hoje pelo jornal russo "Nezavisimaya Gazeta".

O advogado explicou que no ano passado pediu ao Kremlin as mesmas garantias que este ofereceu ao Tribunal de Haia para que permitisse ao ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic visitar o Instituto Bakulev.

Milosevic morreu em sua cela no início do ano passado depois que o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia rejeitou o pedido de Moscou. Di Stéfano se mostrou convencido de que Aziz corre o mesmo risco.

Segundo Di Stéfano, a falta de resposta do Kremlin - que manteve estreitos laços com o regime de Hussein - levou Aziz a pedir recentemente ao Governo italiano e ao Vaticano que lhe concedam asilo político na Itália.

O advogado confirmou que já enviou as respectivas mensagens ao Governo italiano e que hoje deve entregar pessoalmente uma carta do chefe da diplomacia do regime de Saddam ao papa Bento XIV.

Di Stéfano disse que a decisão de permitir a Aziz que se submeta a um tratamento médico deve ser tomada pela Corte Suprema do Iraque.

O advogado ressaltou que está tudo pronto para apresentar um pedido de libertação pagando uma fiança.

"Peço ao presidente russo, Vladimir Putin, que ajude o senhor Aziz, e peço mais uma vez à Rússia e a qualquer outro Governo que possa oferecer garantias que o façam sem falta", ressaltou.

Di Stéfano explicou que Aziz permanece sob custódia na base de Camp Croper à espera de julgamento, mas até agora não foram apresentadas acusações contra ele.

O advogado ressaltou, no entanto, que ele está em melhores condições que os outros altos cargos do regime de Saddam.

O chefe do comitê de Exteriores da Duma russa, Konstantin Kosachev, assegurou hoje que a solicitação de Aziz será estudada "com a máxima seriedade".

"Esta não é uma questão política, já que não está relacionada com as atividades de Aziz à frente do Governo iraquiano", afirmou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h15

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host