UOL Notícias Notícias
 

20/01/2007 - 18h01

Abbas chega a Damasco para tentar resolver crise palestina

Damasco, 20 jan (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, chegou hoje a Damasco, onde pode se reunir com a máxima autoridade do movimento islâmico Hamas, Khaled Mashaal, para definir a formação de um Governo de união nacional.

Em sua chegada ao aeroporto internacional de Damasco, Abbas não confirmou, mas também não descartou, a possibilidade de reunir-se com Mashaal, chefe do escritório do Hamas que vive exilado na capital síria.

"Todas as facções (palestinas) estão presentes na Síria. Quem quiser se reunir conosco é bem-vindo. Por que não se reunir com Mashaal?", disse Abbas, que permanecerá por dois dias em Damasco, depois de passar pela Jordânia.

Seis horas após sua chegada, apesar de várias fontes palestinas terem afirmado que a reunião aconteceria hoje, Abbas reuniu-se apenas com o presidente da Síria, Bashar al-Assad.

Caso a reunião entre Abbas e Mashaal aconteça, seria o primeiro encontro entre os líderes das duas principais facções palestinas, Fatah e Hamas, desde as eleições parlamentares palestinas. O movimento liderado por Mashaal venceu nas urnas, o que permitiu que a formação do novo Governo - antes controlado pelo Fatah, de Abbas.

A chegada de Abbas a Damasco acontece após a visita do mediador palestino Ziyad abu Amar, membro do Fatah, ao país com o objetivo de abrir o caminho para tentar estabelecer um Governo palestino de coalizão nacional.

Nos últimos meses, o presidente da ANP tentou, sem sucesso constituir um Governo de unidade para, assim, tentar colocar fim ao bloqueio econômico imposto pela comunidade internacional liderada pelos Estados Unidos e pela União Européia contra o Hamas.

Os países exigem que o Hamas reconheça o Estado de Israel, renuncie à violência e respeite os acordos assinados no passado entre israelenses e palestinos.

Durante sua reunião com Abbas, Assad disse que o diálogo é "o único idioma" para a formação de um Governo de união nacional.

Segundo um comunicado presidencial, o líder sírio ressaltou a necessidade de que o povo palestino se comprometa nesta etapa a renunciar à luta entre as duas facções e fortalecer o "tecido nacional".

Em meados de dezembro, o anúncio de Abbas de que anteciparia as eleições presidenciais e parlamentares acirrou os ânimos entre as principais facções palestinas e gerou uma onda de violência.

O presidente sírio também expressou a disposição de seu país de apoiar qualquer acordo obtido pelos palestinos.

A autoridade palestina reafirmou seu compromisso pela paz, que "levará ao fim da ocupação, o estabelecimento de um Estado palestino independente com capital em Jerusalém e a restauração dos direitos palestinos", acrescenta o comunicado oficial.

O vice-presidente sírio, Farouk al-Shara, e o ministro das Relações Exteriores sírio, Walid al-Moualem, também participaram das conversas entre os dois dirigentes.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host