UOL Notícias Notícias
 

27/01/2007 - 16h59

Abbas pagará salários do pessoal de segurança

Ramala, 27 jan (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, se dispõe a pagar salários atrasados do pessoal dos organismos de segurança que lhe são leais com parte dos US$ 100 milhões transferidos por Israel.

Israel, que exerce a função de agente de retenção de impostos da ANP devido a um acordo de 1995, participa de um boicote internacional contra o Governo islâmico do primeiro-ministro Ismail Haniyeh, do Hamas.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, prometeu a Abbas que fará a transferência de parte do dinheiro endividado com a condição de que não chegue nas mãos do Governo de Haniyeh, que celebrou esta semana o primeiro aniversário no poder, desde a vitória eleitoral do Hamas.

Um assessor de Abbas, Rafik Hosseini, que deu detalhes do plano de pagamento aos efetivos dos organismos de segurança, informou que Abbas conseguiu também US$ 30 milhões dos Emirados Árabes Unidos e outros US$ 22 milhões do Catar para pagar despesas.

O anúncio ocorre em meio a uma nova onda de violência na Faixa de Gaza entre milicianos do Fatah e do Hamas. Pelo menos 21 pessoas morreram nas últimas 48 horas.

O presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, anunciou na sexta-feira a Abbas, em Madri, uma transferência de emergência de ? 7 milhões.

Devido ao embargo, o primeiro-ministro Haniyeh se viu em sérias dificuldades para mobilizar o dinheiro necessário para pagar os salários de cerca de 165 mil funcionários, entre estes 80 mil efetivos dos organismos de segurança da ANP e os 6 mil da milícia islâmica do Hamas.

O presidente da ANP deve investir US$ 152 milhões ao ano para o pagamento dos organismos de segurança e para gastos sociais, disse Hosseini.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host