UOL Notícias Notícias
 

01/02/2007 - 17h22

Quatorze anos depois de deixar a Presidência, Collor assume como senador

Brasília, 1 fev (EFE).- Fernando Collor de Mello (PRTB-AL) retornou hoje à vida política do Brasil, ao assumir um posto no Senado, 14 anos após ter renunciado à Presidência.

Collor, eleito senador pelo estado de Alagoas, assegurou em declarações a jornalistas que amadureceu com o tempo.

"São 14 anos, após um sofrimento brutal a que fui submetido. Você aprende com o sofrimento, acumula experiência sofrendo. O que desejo é oferecer minha experiência, para o debate dos assuntos que estarão em pauta", declarou o político.

Assegurando estar "ansioso para começar a trabalhar", Collor disse que apresentará um projeto de lei para transformar o atual sistema presidencialista do país em um regime parlamentarista.

Em 1992, Collor foi obrigado a renunciar à Presidência, pouco antes de ser destituído pelo Congresso, por corrupção.

Em dezembro de 1994, o ex-presidente foi absolvido pelo Supremo das acusações de corrupção.

Durante os últimos anos, sua vida política se limitava ao estado de Alagoas, onde sua família exerce um poder tradicional.

Ao retornar a Brasília hoje, Collor se disse um "cristão novo" no Poder Legislativo, pois em 1982, já havia exercido mandato como deputado federal, antes de se transformar, aos 40 anos, no presidente mais jovem da história brasileira.

Durante a cerimônia oficial de posse no Senado, Collor foi acompanhado de três de seus filhos.

No camarote dos convidados, o ex-presidente foi aplaudido por um grupo de 25 sacerdotes, dois bispos e três diáconos da Igreja Católica, que compareceram, segundo disseram aos jornalistas, em reconhecimento a seus trabalhos sociais no interior de Alagoas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host