UOL Notícias Notícias
 

10/02/2007 - 18h59

Lula diz que sua conversa com Bush focará a questão dos biocombustíveis

Rio de Janeiro, 10 fev (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que os biocombustíveis serão o assunto central da conversa que terá com George W. Bush em São Paulo em 9 de março, quando o presidente americano iniciará uma viagem por cinco países latino-americanos.

Brasil e Estados Unidos são os dois maiores produtores mundiais de etanol, o combustível de origem vegetal que foi assinalado como uma alternativa sustentável ao petróleo tanto econômica quanto ambientalmente.

"Bush estará aqui em 9 de março para conversar e acho que o principal assunto serão os biocombustíveis", afirmou Lula em declarações que concedeu a jornalistas após participar da cerimônia de inauguração de uma nova fábrica de produção de biodiesel na Bahia.

"Os EUA produzem uma grande quantidade de álcool (etanol), mas a partir do milho. Nós consideramos que é um prejuízo produzir álcool a partir do milho já que esse produto é melhor utilizado como ração animal", acrescentou Lula.

"O que nós queremos é nos associar para que o Brasil possa introduzir seu álcool no mercado americano", afirmou Lula ao indicar que a principal reivindicação de seu Governo perante as autoridades americanas é a redução das tarifas que atualmente tornam inviável a exportação ao maior mercado mundial do etanol brasileiro, fabricado a partir de cana de açúcar.

Os Estados Unidos, com 17 bilhões de litros anuais, e o Brasil, com 16 bilhões de litros, são os maiores produtores mundiais de etanol, embora o Brasil, com 3,1 bilhões de litros, seja o principal exportador do combustível vegetal.

O Brasil alega que produzir etanol a partir de cana de açúcar custa 40% a menos em relação ao milho e que o combustível obtido é mais eficiente.

O Governo brasileiro considera que, com uma oferta variada e garantida do combustível vegetal e padrões mundiais de qualidade unificados, o etanol pode substituir grande parte da gasolina.

O Brasil, que já conta com uma extensa frota de veículos que utilizam indistintamente ambos os combustíveis (conhecidos como flex), ofereceu sua tecnologia a outros países produtores de cana de açúcar, como a Colômbia, em uma tentativa de aumentar a oferta mundial do produto.

"(Bush) pode vir aqui ao Brasil para que o façamos andar em um (carro de tecnologia) flex", afirmou Lula.

Segundo um estudo encomendado pelo Ministério de Ciência e Tecnologia para justificar um plano de expansão na produção de etanol, o combustível vegetal poderá substituir 10% da gasolina mundial em cerca de 20 anos.

Para isso, o Brasil terá que aumentar suas exportações de etanol dos atuais 3,1 bilhões de litros para cerca de 200 bilhões de litros em 2025, e a área plantada em cana de açúcar das atuais 5,6 milhões de hectares para cerca de 30 milhões de hectares, o que considera possível sem a necessidade de devastar a Amazônia.

No discurso que pronunciou durante a cerimônia de inauguração da fábrica de biodiesel na cidade de Iraquara, Lula qualificou como "quase milagroso" este combustível, elaborado a partir de plantas como soja, palma, mamona e girassol, e disse que no futuro, em lugar de emitir gases poluentes, os veículos exalarão cheiros vegetais.

A nova fábrica, uma das maiores do país e com capacidade para produzir 108 milhões de litros de biodiesel ao ano, comprará como matéria-prima os cultivos de cerca de 35.000 famílias da região.

A processadora exigiu um investimento de R$ 22 milhões e pertence à empresa Brasil Ecodiesel, responsável por cerca de 60% do biodiesel produzido no Brasil.

O país produz atualmente 3,340 bilhões de litros de biodiesel ao ano, mas a meta do Governo é elevar essa produção para 23,3 bilhões de litros mediante a abertura de 46 novas fábricas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host