UOL Notícias Notícias
 

13/02/2007 - 17h54

Atiradores matam dez pessoas em Salt Lake City e Filadélfia

Washington, 13 fev (EFE).- Dez pessoas morreram e muitas outras foram hospitalizadas em estado grave após tiroteios registrados nas últimas horas em um centro comercial de Salt Lake City (Utah) e em uma empresa de marketing da Filadélfia (Pensilvânia).

Por enquanto, há poucos detalhes sobre os motivos que o agressor de Utah poderia ter, mas, no caso da Filadélfia, as causas podem ser "econômicas" já que o ataque aconteceu no decorrer de uma reunião da empresa.

O atirador de Salt Lake City abriu fogo contra os clientes do centro comercial "Trolley Square", matando duas mulheres de 28 anos, uma de 52, um homem de 24 anos e uma jovem de 15, além de ferir outras quatro pessoas antes de ser abatido pela Polícia, informou a porta-voz da corporação, Robin Snyder.

As autoridades informaram que o atirador, de 18 anos, que vestia uma capa de chuva e cuja identidade não foi revelada, portava uma escopeta, um revólver e muita munição.

"Temos seis mortes e várias vítimas encontradas em diferentes lugares do centro comercial estão internadas em hospitais", declarou Snyder à emissora local "KSL".

Dois dos feridos, um homem de 50 anos e um adolescente de 16, se encontram em estado muito grave no Hospital da Universidade de Utah, enquanto outras duas, na mesma situação, estão internadas no Hospital dos Mórmons.

Uma mulher grávida de oito meses também foi hospitalizada, sendo atendida devido ao "trauma psicológico" e não por ferimentos.

Segundo testemunhas, o jovem disparou contra um policial depois de ter se escondido em uma papelaria do centro comercial.

"Houve muitos disparos, cerca de vinte", disse um deles.

Outras quatro pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida durante uma reunião de empregados e diretores de uma companhia de marketing na Filadélfia, onde outro atirador - que se suicidou quando a Polícia chegou - abriu fogo depois de uma discussão.

As vítimas, segundo a Polícia, são os irmãos Robert Norris, de 41 anos e Mark Norris, de 46, além de James Reif, de 42.

Mark Norris era o presidente da empresa, chamada Zigzag, seu irmão era o vice-presidente encarregado do desenvolvimento comercial e Reif trabalhava para outra companhia, informou Aaron Haydn McLean, designer gráfico da empresa.

O Comissário de Polícia Richard Ross disse que o agressor disparou contra os três durante uma reunião realizada no segundo andar do edifício.

A Polícia acredita que o assassino participava desta reunião e que o tiroteio começou após uma forte discussão.

"Parece que o autor dos disparos estava muito nervoso por causa de alguma coisa que estava acontecendo no negócio", disse Ross à imprensa.

A causa do crime, segundo o comissário, "parece ser de caráter econômico".

Ayron Haydn McLean, que afirmou que há cinco anos trabalha para a Zigzag, empresa que tem quinze empregados, disse à Polícia que o assassino pode ser "um investidor", embora as autoridades não tenham confirmado a informação.

A Polícia encontrou duas vítimas no chão, "com diversos ferimentos no corpo", outra em uma cadeira e mais duas pessoas amarradas e amordaçadas com fita adesiva.

Um dos dois feridos, cujo nome não foi divulgado, se encontra "em estado crítico" apesar de ter sido operado no Hospital da Universidade Thomas Jefferson da Filadélfia, informou a Polícia.

O outro indivíduo amordaçado afirmou às autoridades que o atirador se suicidou após tentar disparar contra a Polícia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h16

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host