UOL Notícias Notícias
 

18/03/2007 - 06h10

Olmert diz que não fará contatos com novo Governo da ANP

Jerusalém, 18 mar (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou hoje que não fará contatos com o novo Governo de união nacional da Autoridade Nacional Palestina (ANP), integrado por membros do Fatah e do Hamas, mas manterá sua relação com o presidente Mahmoud Abbas.

Olmert fez estas afirmações durante a reunião semanal de seu gabinete, segundo fontes ministeriais.

A negativa de Olmert a reconhecer o novo Executivo palestino se deve a que não cita em seu programa de Governo os princípios da comunidade internacional que exigem dos palestinos o final da violência e o reconhecimento do Estado de Israel.

O primeiro-ministro israelense expôs sua postura depois que os ministros do novo Executivo palestino de união nacional tomaram posse, no sábado.

"Não podemos manter contatos com o Governo (palestino) ou com ministros que fazem parte dele, levando em conta que este Executivo não admite as condições da comunidade internacional", disse Olmert aos membros de seu gabinete.

Por enquanto, não existe nenhum documento oficial e as declarações atribuídas a Olmert não foram confirmadas por seu porta-voz, David Baker. Após a reunião de Governo será concedida uma entrevista para esclarecer o que foi tratado no encontro.

As fontes ministeriais disseram que o chefe do Governo israelense expressou, no início da reunião, a esperança de que a comunidade internacional mantenha o boicote à nova coalizão governamental da ANP, que substituiu o Executivo do Hamas, e não a reconheça enquanto não adotar os princípios estabelecidos pelo Quarteto de Madri.

O Quarteto (Estados Unidos, União Européia, ONU e Rússia), que propôs em 2003 o Mapa do Caminho, exige ao Governo da ANP que reconheça Israel, cumpra os acordos já assinados e renuncie à resistência armada, aos atentados suicidas e ao disparo de foguetes Qassam da Faixa de Gaza contra território israelense.

Segundo Olmert, o programa de Governo anunciado no sábado pelo primeiro-ministro da coalizão palestina, Ismail Haniyeh, do Hamas, não reflete a aceitação destas condições.

Dois ministros do novo Governo palestino, o de Exteriores, Ziad Abu Amr, e o de Finanças, Salam Fayyad, farão nas próximas 48 horas uma viagem por países da União Européia (UE), Estados Unidos e alguns Estados árabes para explicar o programa do novo Executivo.

Por outro lado, desde dezembro Olmert se reuniu em três ocasiões com Abbas para discutir assuntos relacionados com a população de Gaza e do território ocupado da Cisjordânia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,29
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h30

    -0,17
    74.318,72
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host