UOL Notícias Notícias
 

06/06/2007 - 10h27

Academias do maior país muçulmano do mundo ensinam a apimentar a vida a dois

Ana Cárdenes Jacarta, 6 jun (EFE).- No país com o maior número de muçulmanos do mundo, onde se poderia esperar que o sexo fosse um tabu, há academias de ginástica e salões de beleza que tratam as relações sexuais com grande naturalidade e que oferecem exercícios para melhorar o rendimento na cama.

Entretanto, não são apenas as mais modernas academias de ginástica que oferecem este tipo de serviço. Para ensinar às pessoas os segredos para ter uma boa performance sexual, os centros de massagem tradicionais transmitem às jovens indonésias que se preparam para o casamento ensinamentos ancestrais para seduzir e satisfazer seus maridos na cama.

Na moderna capital do país, uma cidade com 15 milhões de habitantes na maior parte muçulmanos, não é difícil encontrar nas academias de ginástica aulas de Body Language (linguagem corporal), um exercício similar à aeróbica e proveniente dos Estados Unidos e que tem como objetivo reforçar os músculos pélvicos.

Quando perguntados em que consiste o Body Language, a resposta dos alunos não é nada pudica: "É um exercício para melhorar o rendimento sexual".

Dezenas de mulheres não deixam de praticar um dia sequer os exercícios, não apenas com o objetivo de melhorar sua forma física, mas, sobretudo, buscando satisfazer ao máximo seus maridos durante a relação sexual.

"O que fazemos são fundamentalmente exercícios nos quais são trabalhados a pélvis, o abdome e os músculos vaginais, para melhorar as relações sexuais", explica Noey, professora de Body Language em várias academias de Jacarta.

Segundo ela, o trabalho dos músculos e órgãos que estão diretamente ligados à relação sexual permite uma maior agilidade e força durante o ato, o que leva a uma maior satisfação. Além disso, os exercícios também ajudam as mulheres a reforçarem a musculatura vaginal para a retenção de urina e para facilitar o parto, declarou.

"Muitas mulheres praticam o Body Language", afirmou Noey.

"Não há problema algum, pois as aulas são realizadas em locais fechados e a entrada de homens é proibida. Quando são feitos do lado de fora, treinamos mais exercícios de braços e pernas e menos posturas sensuais", acrescentou a professora, de 30 anos, que tem quatro filhos e mantém um corpo atlético.

O curioso é ver, durante a aula, mulheres muçulmanas usando o véu islâmico e fazendo exercícios que reproduzem o ato sexual.

"Tenho muitas alunas que usam véu. Não há preconceito algum. Seus maridos estão contentes por elas participarem das aulas. Aqui, elas podem vir totalmente cobertas, por isto não há problema. Além disso, sabem que estes exercícios melhoram sua saúde", afirma Noey.

Nem todas se atrevem a falar dos "efeitos" que as aulas proporcionaram às suas vidas, mas, segundo a professora, "as que se dispõem a falar disto comentam freqüentemente que notam uma melhora em sua vida sexual. Além disso, melhoram a forma e têm mais energia, mas muitas ainda sentem vergonha de falar do assunto ".

As aulas para o sexo, de qualquer forma, não é uma novidade neste país, onde se misturam os costumes da religião islâmica com tradições culturais locais, como a javanesa, assim como com outras crenças do tipo existencialista.

O Taman Sari é uma rede de salões de beleza e academias de ginástica que se orgulha de ter sua origem nos palácios das famílias reais de Java e que oferece tratamentos tradicionais e produtos elaborados com receitas antigas.

"Oferecemos um pacote especial de tratamentos para casais que estão próximos do casamento", afirmou Emma, porta-voz de uma das filiais.

Os tratamentos têm como objetivo preparar o casal para uma vida feliz a dois e, na prática, para uma noite de núpcias inesquecível.

Entre as diferentes técnicas utilizadas está o Asmaragamba, uma massagem que serve para preparar a zona pélvica para as relações sexuais, com o objetivo de que a mulher, ao perder a virgindade, tenha prazer e dê prazer a seu parceiro.

"Também realizamos a preparação emocional, pois muitas moças estão assustadas com a primeira vez" diz Emma.

"Ensinamos às noivas exercícios para fortalecer os músculos que se envolvem nas relações sexuais e também lhes explicamos do que seus maridos gostam, além de fazer com que elas não se sintam tímidas", acrescentou.

Já a preparação dos homens se limita ao ensino de exercícios e a como tratar o corpo e o rosto para conseguir uma maior suavidade.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host