UOL Notícias Notícias
 

31/07/2007 - 01h43

Malásia se oferece como mediadora no conflito de Darfur

Kuala Lumpur, 31 jul (EFE).- A Malásia, que ocupa a Presidência da Organização da Conferência Islâmica (OCI), se ofereceu para mediar o conflito de Darfur (Sudão), que dura quatro anos, para acabar com o sofrimento da população, afirmou o vice-primeiro-ministro malaio, Najib Razak.

"Estivemos sempre abertos às negociações e estamos preparados para desempenhar nosso papel, se for necessário, para trazer a paz a Darfur", disse Razak, segundo informa hoje o jornal "The New Straits Times".

"A comunidade internacional se dirige a nós nas discussões sobre os assuntos humanitários em Darfur, sobretudo os países muçulmanos, já que a Malásia ocupa a Presidência da OCI", disse Razak, que mostrou preocupação com a situação.

O vice-primeiro-ministro da Malásia, considerado um Estado muçulmano moderado, lembrou que "mais de 90% dos sudaneses são muçulmanos, e o país também é membro da OCI".

A Malásia aprovou um contingente de 18 mil voluntários para assistir aos refugiados em Darfur.

A região é palco de um conflito armado que começou em 2003, quando o Movimento de Libertação do Sudão (MLS) e o Movimento de Justiça e Igualdade (MJI) tomaram as armas para protestar contra a pobreza e a marginalização.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    1,02
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,90
    67.976,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host