UOL Notícias Notícias
 

09/08/2007 - 10h07

Comandante britânico pede retirada dos EUA do Afeganistão por morte de civis

Washington, 9 ago (EFE).- Um comandante britânico pediu a retirada das forças dos Estados Unidos da província de Helmand, sul do Afeganistão, por causa do alto número de mortes de civis que elas causam, publica a edição de hoje do jornal "The New York Times".

O artigo, escrito na cidade afegã de Sagin, não identifica o comandante e os outros oficiais britânicos também entrevistados pelo jornal que criticam as forças especiais americanas por causar a maioria das mortes e ferimentos entre civis.

Os militares também se mostraram preocupados com os bombardeios aéreos, pois eles fazem com que a população fique contrária à presença de forças estrangeiras no país.

Um porta-voz das Forças Armadas dos EUA negou que o Reino Unido tenha feito esse pedido, segundo o "New York Times".

Além disso, o porta-voz das forças britânicas em Helmand, coronel Charles Mayo, defendeu a presença das forças especiais americanas na região.

Aproximadamente 300 civis morreram este ano pelos combates entre os talibãs e as forças internacionais presentes no país sob o mandato da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), de acordo com o jornal.

A ONU informou recentemente que as forças estrangeiras causaram mais baixas entre os civis do que nos talibãs.

A morte de civis por ações da Otan foi um dos principais temas do diálogo do presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, com o presidente americano, George W. Bush, no domingo e na segunda-feira em Camp David (Maryland).

"Temos que fazer tudo, tudo possível para reduzir as mortes entre civis. Eles são aliados no combate contra o terrorismo e os aliados devem ser protegidos", disse Karzai.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host