UOL Notícias Notícias
 

17/09/2007 - 15h29

Lula fecha visita à Espanha e consegue apoio de Governo e empresários ao PAC

Piedad Viñas Madri, 17 set (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva concluiu hoje uma visita oficial à Espanha, onde sua gestão econômica foi elogiada pelo Governo e pelos empresários espanhóis, que garantiram novos investimentos para o Plano de Aceleração do Crescimento (PAC).

"A Espanha apostou no Brasil em caráter permanente", "está e quer estar ainda mais próximo desse processo de crescimento econômico" (PAC), disse hoje o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, depois de se reunir com Lula.

No final da reunião, ambos encontraram um grupo de representantes de empresas espanholas, aos quais Lula apresentou o PAC, com previsão de investimentos no valor de cerca de R$ 500 bilhões até 2010 em setores como energia e telecomunicações.

O presidente convidou os empresários a se associarem ao Brasil "na construção do programa".

Zapatero assegurou que os representantes das empresas espanholas participarão ativamente do PAC com novos investimentos, para reforçar ainda mais a cooperação bilateral.

Atualmente, a Espanha é o segundo país que mais investe no Brasil (após os Estados Unidos), com aplicações totais de 30 bilhões de euros (US$ 41,6 bilhões).

Os representantes das grandes empresas com interesse no Brasil, - como Telefónica, Repsol-YPF, Gas Natural, Iberdrola e o banco Santander -, querem manter sua posição no país e, inclusive, melhorá-la.

Estas intenções foram comunicadas a Lula em reuniões organizadas pela Fundação Hispano-Brasileira e o Real Instituto Elcano, assim como no encontro convocado por Zapatero no Palácio da Moncloa.

Na sede do Governo, o presidente do Grupo Santander, Emilio Botín, disse que sempre se comprometeu a apoiar o Brasil, que, segundo ele, será uma "referência" na região.

Para o chefe do Executivo espanhol, o Brasil tem mostrado sucesso, assim como Lula, a quem Zapatero disse apreciar e admirar.

Para ele, o governante brasileiro se tornará "um dos grandes presidentes do século XXI".

Lula e Zapatero conversaram hoje sobre a intenção de ambos os países de reforçar a cooperação bilateral e ampliá-la, não só em matéria de economia e comércio, mas também no âmbito da cultura, da ciência, do turismo e do trabalho, entre outros.

Como exemplo desses planos, os Governos brasileiro e espanhol ratificaram hoje um acordo para o estabelecimento de novos centros culturais destinados à promoção da língua portuguesa e espanhola.

Outro compromisso foi firmado para a realização de semanas culturais em ambos os países.

Os acordos são mencionados na declaração conjunta que Zapatero e Lula assinaram após a reunião, na qual ratificam seu compromisso com a justiça social, o diálogo entre as civilizações e o fortalecimento das instituições internacionais.

Os dirigentes também apostam em "uma inserção mais equilibrada dos países mais pobres no comércio internacional, principalmente à luz das recentes turbulências no mercado financeiro mundial".

Segundo eles, esses problemas não chegarão nem ao Brasil, nem à Espanha, devido à solidez de suas economias.

A declaração conjunta aborda os resultados da segunda visita oficial de Lula à Espanha, onde concluiu hoje sua agenda de trabalho com um encontro privado com o Rei Juan Carlos I, no Palácio da Zarzuela.

Na reunião, os dois chefes de Estado analisaram a situação internacional, as relações bilaterais e as perspectivas da Cúpula Ibero-Americana que será realizada no Chile, de 8 a 10 de novembro, com a presença confirmada de Lula.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host