UOL Notícias Notícias
 

15/10/2007 - 14h31

Rei Muhammad VI nomeia novo Governo de Abbas el-Fassi

Rabat, 15 out (EFE).- O rei Muhammad VI do Marrocos nomeou hoje, em cerimônia realizada no palácio real de Rabat, o novo Governo liderado pelo primeiro-ministro Abbas el-Fassi, designado pelo monarca para o cargo após as eleições de 7 de setembro passado.

O anúncio da nomeação do novo Governo acontece três dias depois da constituição da nova Câmara de Representantes do Parlamento marroquino, cujo presidente será eleito nesta terça-feira.

O novo Governo é composto por 33 ministros e secretários de Estado, dos quais dez são independentes, nove pertencem ao nacionalista Istiqlal, seis à União Socialista de Forças Populares (USFP), seis ao Reagrupamento Nacional dos Independentes (RNI) e dois ao Partido do Progresso e do Socialismo.

Fica de fora do Governo o Movimento Popular (MP), que rejeitou este fim de semana integrar o novo gabinete de Fassi.

O ministro do Interior seguirá sendo o independente Chakib Benmussa, ao tempo que o Ministério de Exteriores será ocupado por pelo independente Taieb Fassi Fihri, e o da Justiça por Abdelwahed Radi (USFP).

O ministro das Finanças do novo Governo é Salaheddine Mezouar (RNI), ao tempo que o responsável de Assuntos Islâmicos seguirá sendo o independente Ahmed Toufiq, e o ministro de Comunicação e porta-voz do Governo será Khalid Naciri (PPS).

O novo Governo conta ainda com a participação de Ahmed Lakhrif, como secretário de Estado do Ministério de Exteriores.

O Executivo de Fassi substitui o presidido pelo tecnocrata independente Driss Jettou, que liderou uma coalizão de cinco partidos eleita nas eleições de 2002.

O secretário-geral do Partido Istiqlal, de 67 anos, foi encarregado pelo rei, em 19 de setembro, da formação do novo Governo, doze dias após as eleições legislativas marroquinas, nas quais o Istiqlal conseguiu 52 das 325 cadeiras da Câmara de Representantes.

Em seguida veio o Partido Justiça e Desenvolvimento (PJD, islamita moderado), que obteve 47 cadeiras, e seguirá na oposição.

Em terceiro lugar ficou o MP, com 41 cadeiras, seguido pelo RNI, com 39; pela USFP, com 38 e pelo Partido do Progresso e do Socialismo, com 17 cadeiras.

As últimas eleições marroquinas foram marcadas por uma elevada taxa de abstenção que, segundo dados oficiais, alcançou 63% da população com direito a voto.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host